PUBLICIDADE
Topo

Jovem no Piauí morre após choque enquanto jogava com celular na tomada

iStockphoto
Imagem: iStockphoto

Bárbara Therrie

Colaboração para Tilt

26/09/2020 11h19Atualizada em 27/09/2020 09h24

Um adolescente de 15 anos, identificado como Luigi do Nascimento Souza Sodré, morreu na noite de quarta-feira (23) após levar um choque enquanto usava o celular conectado ao carregador na tomada. O caso ocorreu no bar e restaurante O Galeno, em Luís Correia, no litoral do Piauí.

Marcos Antonio de Miranda, socorrista condutor e coordenador enfermeiro do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), e uma técnica de enfermagem prestaram os primeiros socorros a Luigi.

"A vítima ainda estava com vida, deitada no chão, com pulso e respiração lenta, respiração que chamamos de 'gasping', onde a pessoa respira e para, respira e para", conta Miranda. Eles iniciaram o procedimento de ventilação auxiliar quando Luigi sofreu uma parada cardiorrespiratória. "Após a parada, fizemos a massagem cardíaca por 15 minutos e realizamos o choque com o desfibrilador", relata o socorrista.

Ainda segundo Miranda, Luigi chegou a ser intubado e medicado pelos profissionais da equipe avançada, mas acabou não resistindo e morreu."A provável causa da morte foi a parada cardiorrespiratória devido ao choque elétrico", diz. Ele conta que os pais de Luigi acompanharam todo o processo de perto. "Eles estavam muito angustiados e desesperados. A mãe pedia para eu salvá-lo e o pai dizia: 'Volta, filho'".

Após a equipe do Samu deixar o local, o perito criminal do Departamento de Polícia Técnico-Científica de Parnaíba, Eduardo Gonçalves, realizou a perícia no restaurante. Ao verificar possíveis vestígios de eletricidade, Gonçalves constatou que havia marcas arroxeadas em forma de galhos de árvores no braço esquerdo de Luigi, um dos sinais que caracterizam o choque elétrico. O perito explica que o nome técnico deste sinal é chamado de marca queraunográfica (do grego keraunos, que significa raio).

De acordo com o perito, testemunhas contaram que Luigi estava jogando Free Fire no celular, com o carregador na tomada, quando ouviram uma explosão no poste em frente ao restaurante. Na mesma hora, o menino sofreu a descarga elétrica.

"Provavelmente houve uma variação de alta tensão devido à sobrecarga na rede do poste, que se propagou para a tomada e causou o choque elétrico, levando à morte do garoto", diz Gonçalves. Ele explica que o choque elétrico pode causar desfibrilação no corpo, parada cardíaca, asfixia e contração muscular.

Gonçalves diz que testou o celular e o carregador de Luigi e disse que ambos estavam funcionando normalmente e não foram comprometidos. Ele também realizou uma medição na tomada, que ficou em 220 volts, dentro do normal.

Em nota, a Polícia Civil informou que instaurou inquérito policial para investigar a morte de Luigi. Ainda segundo o comunicado, o celular do jovem foi apreendido e a polícia dará prosseguimento às investigações para a finalização do inquérito. O modelo e a marca do celular e do carregador não foram confirmados pela corporação.

Especialistas orientam a evitar o uso de celulares ou qualquer dispositivo eletrônico enquanto eles estão conectados na tomada. Casos de queimaduras, explosões e incêndios já foram registrados no Brasil associados a prática. O uso de carregadores e cabos originais também é recomendado. Produtos falsificados podem fornecer mais energia do que o necessário e não passaram pelos testes determinados pelos órgãos de controle para serem comercializados.

A reportagem entrou em contato com a Equatorial Energia Piauí, empresa de distribuição de energia elétrica, mas não obteve resposta até a publicação da reportagem. Na noite de sábado (26), a companhia enviou o seu posicionamento lamentando o ocorrido e destacou algumas dicas de segurança.

"A empresa Equatorial Piauí comunica que não foi identificado nenhuma anomalia ou defeito na rede elétrica que justifique o lamentável acidente envolvendo o jovem Luigi Nascimento Sousa Sodré", afirmou. "A distribuidora esclarece que é responsável pelas redes de distribuição até o ponto de entrega e medição dos clientes, não sendo responsável pelas redes internas nas unidades consumidoras."

A recomendação da empresa é:

  • Evite carregar o celular em ambientes úmidos porque a água é uma boa condutora de eletricidade. Isso faz com que os riscos de curto e de choque elétrico aumentem;
  • Não faça uso de carregadores ou fones de ouvido "piratas";
  • Jamais abra ou perfure o compartimento da bateria;
  • Leve o aparelho a uma assistência técnica autorizada sempre que apresentar problema ou cair na água. Nunca tente abri-lo;
  • Não carregue seu celular em instalações elétricas antigas, procure trocar as tomadas seguindo o padrão ABNT;
  • Supervisione o uso do celular pelas crianças para que esses cuidados sejam observados.