Topo

Homem morre após choque e suspeita é que ele usava celular ligado na tomada

Imagem meramente ilustrativa - Getty Images/iStockphoto
Imagem meramente ilustrativa Imagem: Getty Images/iStockphoto

De Tilt*, em São Paulo

14/11/2019 11h05

Um homem de 40 anos foi encontrado morto ontem em seu quarto em Samut Prakan, na Tailândia. Acredita-se que ele tenha sido eletrocutado enquanto usava o celular deitado em sua cama.

De acordo com o Daily Mail, o chef de cozinha Somchai Singkorn estaria assistindo a um jogo no próprio aparelho com o dispositivo conectado na tomada. Uma lata de cerveja foi encontrada próxima a ele.

O corpo de Singkorn tinha marcas de queimaduras no braço, rosto e no pescoço, locais em que o cabo do celular parece ter tocado. O colega de quarto dele disse que tentou acordá-lo pela manhã, mas já não teve mais resposta.

O corpo será submetido a uma autópsia, que poderá comprovar a causa da morte.

"Suspeitamos que ele tenha sido eletrocutado, mas vamos verificar tudo e esperar os exames pós-morte antes de confirmarmos a causa exata do falecimento", disse o coronel da polícia Warawach Thammasarot.

Infelizmente, essa não é a primeira notícia sobre mortes durante o uso do celular na tomada. Apesar de a ocorrência de curtos-circuitos não ser algo tão comum, a recomendação dos especialistas é evitar ao máximo mexer nos aparelhos durante a recarga da bateria. E isso vale para todos os dispositivos eletrônicos.

As redes elétricas podem esconder problemas e contribuir para tragédias como essa. Ainda mais se as estruturas forem muito antigas e não passarem por manutenção preventiva com frequência. Na dúvida, chame um profissional qualificado para verificar toda a instalação elétrica.

Outro alerta é em relação ao uso de carregadores piratas.

Aqui no Brasil, os produtos originais são homologados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Por isso, passam por testes e existe a garantia de que eles só vão fornecer energia para o celular se eles estiverem ligados ao aparelho. Funcionando assim, o risco de os carregadores causarem algum curto-circuito é bem menor.

Não há essa garantia com os aparelhos piratas. De acordo com os especialistas, o produto pode fornecer uma energia além da necessária. O resultado pode ser até mesmo um incêndio.

Proximidade com a água é ainda mais perigoso

Água e aparelhos eletrônicos não combinam mesmo. Por isso, evite também usar o celular conectado na tomada durante o banho ou em algum ambiente perto de água.

No final do ano passado, a jovem atleta russa Irina Rybnikova sofreu um choque elétrico após seu iPhone cair durante o banho, em sua casa em Moscou. O aparelho estava carregando e o contato com a água foi o responsável pelo choque fatal. A água (não pura) funciona como um ótimo condutor de eletricidade.

Além da descarga elétrica, o vapor da água quente também pode danificar o celular a longo prazo.

*Com reportagem de Bruna Souza Cruz

Smartphone