PUBLICIDADE
Topo

Pode bater palma! Compare fotos do pôr do sol visto da Terra e de Marte

Nasa divulga montagem comparando o por do sol na Terra (esq.) e em Marte - Damia Bouic (esq.); Nasa, JPL-Caltech, MSSS (dir.); processamento digital: Damia Bouic
Nasa divulga montagem comparando o por do sol na Terra (esq.) e em Marte Imagem: Damia Bouic (esq.); Nasa, JPL-Caltech, MSSS (dir.); processamento digital: Damia Bouic

Fabrício Calado

Colaboração para Tilt

04/08/2020 15h14

A menos que você seja parente ou amigo de Elon Musk, talvez nunca tenha ocorrido saber se o pôr do sol de Marte é diferente do que a gente vê na Terra. Pois a Nasa não só teve essa curiosidade como compartilhou para sua curtição: duas imagens lado a lado do mesmo pôr do sol nos dois planetas, com fotos tiradas de ângulos parecidos.

Olhos mais apurados já notaram que o sol de Marte parece um pouco menor que o da Terra. Ou seja, isso desmente a história de que o ângulo da foto é semelhante?

Alô, ciência

Na verdade, a explicação para o pôr do sol marciano parecer menor que o terrestre é outra. Tem a ver com a distância de Marte em relação ao Sol, que é maior que a da Terra.

Às contas: enquanto a Terra, terceiro planeta do sistema solar, fica a 147 milhões de quilômetros quando está mais perto do Sol, Marte (quarto planeta mais distante) fica a 205 milhões de quilômetros de distância do Sol.

Para aprofundar as distâncias: Netuno, oitavo e mais distante planeta do Sistema Solar, fica a 4,45 bilhões de quilômetros na posição mais próxima do Sol; é, portanto, o planeta mais afastado do Sol, já que Plutão perdeu a condição de planeta e luta para voltar à primeira divisão.

Ou seja, esta parte da história não é tão misteriosa assim. Mas, tem a outra: se Marte é o planeta vermelho e a Terra é azul, por que o pôr do sol de Marte é azul e o nosso alaranjado, e não o contrário?

Michael Cera
Imagem: Reprodução

Senta que lá vem hipótese

Ainda não se sabe ao certo o motivo do pôr do sol ser mais azul em Marte. Uma das teorias envolve as propriedades do solo marciano; tempestades de areia são comuns naquele planeta, e pode levar alguns anos para a poeira assentar.

A outra parte da explicação tem a ver com o modo como enxergamos, que é mais com o cérebro do que com a visão. Resumindo um tanto: a cor que vemos é na verdade a quantidade de luz que um objeto reflete ou absorve.

Na Terra, a paleta de cores vermelhas é maior que a de Marte (pense na luz dos vulcões e de outras fontes, como incêndios), e isso se reflete no pôr do sol que temos. Já em Marte, a poeira acaba dispersando muito da luz vermelha do sol, e o que sobra são os tons de azul.