PUBLICIDADE
Topo

Fóssil encontrado na Austrália pode ser ancestral da maioria dos animais

Ikaria wariootia foi descoberto na Austrália - Sohail Wasif / UCR / Divulgação
Ikaria wariootia foi descoberto na Austrália Imagem: Sohail Wasif / UCR / Divulgação

De Tilt, em São Paulo

25/03/2020 13h18

Um estudo divulgado pela revista científica da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos revelou a descoberta do que pode ter sido o ancestral da maioria dos animais que conhecemos hoje, inclusive o ser humano. Trata-se do verme chamado Ikaria wariootia, um dos bilaterianos mais antigos, que foi identificado no sul da Austrália.

A pesquisa, coordenada por uma equipe da Universidade da Califórnia, descreveu o fóssil como um organismo consistente com as previsões baseadas na filogenética animal moderna. O verme é o primeiro a apresentar parte frontal e dorsal, dois lados simétricos e orifícios conectados por entranhas.

A descoberta de Ikaria wariootia começou há cerca de 15 anos, quando pesquisadores identificaram pequenas cavidades em rochas de Nilpena, na Austrália. Mas, somente agora, com a ajuda da tecnologia, a varredura a laser tridimensional revelou a forma regular e consistente do organismo.

Os Ikaria wariootia variaram em tamanho entre 2 mm e 7 mm de comprimento e cerca de 1-2,5 mm de largura.

O estudo concluiu que o tamanho e a morfologia de Ikaria wariootia correspondem às previsões para o progenitor dos traços Helminthoidichnites fósseis - indicativos de mobilidade e deslocamento de sedimentos.

A criatura, que teria vivido há mais de 555 milhões de anos, pode ser a chave para a evolução de grande parte do reino animal. O desenvolvimento da simetria bilateral foi um passo importante na evolução da vida animal, dando aos organismos a capacidade de se movimentarem propositalmente e também de organizar seus corpos.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Ciência