Topo

Como lideranças negras do Brasil ajudaram a criar novo sticker do Instagram

O Laboratório de Criação Negra, design hack do Instagram para criação de um sticker temático para o Brasil - Rodrigo Trindade/UOL
O Laboratório de Criação Negra, design hack do Instagram para criação de um sticker temático para o Brasil Imagem: Rodrigo Trindade/UOL

Rodrigo Trindade

De Tilt, em São Paulo

04/11/2019 13h53

Sem tempo, irmão

  • Novidade é fruto de um sábado de trabalho com expoentes da comunidade negra brasileira
  • No evento, rede social ganhou papel de plataforma com menos amarras econômicas
  • Sticker aparecerá para todos, furando bolhas de algoritmos, seguidores e hashtags

Se você adicionou um adesivo aos seus Instagram Stories desde a última sexta-feira (1º), deve ter notado uma novidade no acervo de artes disponíveis. Depois das opções que vão desde localização até a inclusão de selfies, a empresa adicionou um sticker temático para o Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado todo ano no dia 20 de novembro.

A inclusão não ocorreu de uma hora para outra. A figurinha é fruto de um sábado de trabalho e troca de ideias promovido pela empresa em São Paulo, em parceria com lideranças da comunidade negra brasileira. Denominada Laboratório de Criação Negra, a dinâmica realizada no último dia 14 de setembro foi uma iniciativa inédita no mundo.

Tudo começou com uma apresentação de Hélio Menezes, mestre e doutorando em Antropologia Social pela USP, que recapitulou um histórico da representação do negro na mídia brasileira e destacou como as redes sociais oferecem uma plataforma de expressão que antes era limitada por maiores barreiras econômicas e sociais.

"O negro começou a contar a história dele porque a tecnologia ficou barata. Portanto, a necessidade de entender também como a tecnologia foi usada durante muito tempo para contar a narrativa do branco. Para rir dos nossos corpos, fazer piadas dos nossos cabelos. Nós, hoje, somos um grupo que está falando sobre nossas narrativas e as pessoas querem ouvir", comentou AD Junior, influenciador e comunicador que participou do evento.

Depois de Menezes, Andre Llewellyn, gerente de marketing do Instagram, trouxe um exemplo prático de como isso foi implementado nos Estados Unidos. Em fevereiro deste ano, a rede social promoveu a campanha #ShareBlackStories, uma hashtag pensada para que a comunidade negra americana compartilhasse suas histórias na plataforma.

O que começou por iniciativa da empresa tomou vida própria, com direito celebridades utilizando a hashtag para narrar a participação na festa do Oscar.

Ideias da dinâmica viraram este sticker - Divulgação
Ideias da dinâmica viraram este sticker
Imagem: Divulgação
Como o contexto brasileiro é outro, a proposta aqui foi fazer um "design hack", isto é, pensar no visual. Encerradas as introduções, os convidados --empresárias, ativistas, estilistas, influenciadores, artistas e comunicadores-- foram divididos em três grupos para produzir uma colagem com materiais de referência disponibilizados no local e apresentar a obra para os demais.

Os três trabalhos tocaram em temas comuns, como afrofuturismo, simbologias tradicionais da comunidade negra brasileira, origens e ambições. Enquanto as ideias eram apresentadas, um trio de designers observava tudo atentamente. Cada um deles tinha a responsabilidade de condensar as propostas dos três diferentes grupos em um pôster.

Do Brasil para San Francisco

As três peças produzidas pelos designers, representativas das reflexões de cada grupo, foram as referências artísticas enviadas de São Paulo para San Francisco, onde fica a sede do Instagram. Na cidade californiana, a empresa desenvolveu e implementou o novo adesivo, produzido pelo designer Leandro Assis.

Sticker aparece na quinta linha quando você cria um Stories - Reprodução
Sticker aparece na quinta linha quando você cria um Stories
Imagem: Reprodução

"A ideia de abordar ancestralidade com valorização da mulher negra surgiu depois de muita troca num workshop feito com influenciadores icônicos de todos os segmentos criativo", escreveu Assis em seu Instagram, ao divulgar o produto final.

Já disponível para o uso, o recurso é uma singela forma de romper as bolhas das redes sociais. No caso do #ShareBlackStories, apenas quem buscasse ou usasse a hashtag, ou tivesse algum vínculo de interesses para o algoritmo entregar um conteúdo relacionado na aba "Explorar", entraria em contato com as histórias da comunidade negra americana.

O projeto feito no Brasil é diferente, pois coloca nos Stories de todos a imagem simbólica criada para celebrar a voz da comunidade negra nacional. Ela se junta aos stickers em homenagem à comunidade LGBTQ+ como uma forma de incluir, no Instagram, vozes historicamente marginalizadas da sociedade.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Redes sociais