Topo

Buraco na camada de ozônio é o menor desde 1982, diz Nasa

O buraco na camada de ozônio na Antártica no ano 2000  - NASA/SCIENCE PHOTO LIBRARY
O buraco na camada de ozônio na Antártica no ano 2000 Imagem: NASA/SCIENCE PHOTO LIBRARY

De Tilt, em São Paulo

22/10/2019 19h48

A Nasa divulgou que o buraco na camada de ozônio sobre a Antártida atingiu seu menor tamanho desde 1982, quando começou a ser monitorado.

De acordo com medições do satélite NOAA, o pico anual da falha aconteceu em 8 de setembro, quando o buraco chegou a 16,4 milhões de quilômetros quadrados. Ele tende a diminuir de tamanho entre setembro e outubro e chegou a 10 milhões de quilômetros quadrados em 2019, o menor desde o início da medição.

"É uma grande notícia para o Hemisfério Sul, mas é importante reconhecer que o que estamos vendo este ano é devido às maiores temperaturas estratosféricas. Não é um sinal de que a camada de ozônio está se recuperando rapidamente", disse Paul Newman, cientista-chefe do núcleo de Ciências da Terra do Goddard Space Flight Center.

A camada de ozônio fica na estratosfera, entre 11 e 40 quilômetros de altura. Ela funciona como um filtro solar para o planeta, protegendo a Terra da radiação ultravioleta.

Ciência