PUBLICIDADE

Topo

Emulador de jogos piratas era vendido como "navegador" no Xbox One

Donkey Kong Country, do Super Nintendo, era um dos games piratas oferecidos pelo app TNavigator2 no Xbox One - Reprodução
Donkey Kong Country, do Super Nintendo, era um dos games piratas oferecidos pelo app TNavigator2 no Xbox One Imagem: Reprodução

João Varella

Colaboração para o START

11/08/2020 04h00Atualizada em 13/08/2020 10h11

Jogo Rápido

  • App para Xbox e PC oferecia acesso a jogos antigos de produtoras como Konami, Nintendo, Sega e SNK
  • Programa era vendido por R$ 25 na loja oficial da Microsoft, listado como "navegador de internet"
  • Grupo no Facebook reúne usuários e até "suporte técnico" para auxiliar quem tiver problemas
  • Aplicativo foi removido dois dias depois de a reportagem do START entrar em contato com a Microsoft

Você sabia que no seu Xbox One era possível jogar um game símbolo da Nintendo, como Donkey Kong Country? Ou talvez o eterno California Games, de Master System, que ficou conhecido como "Jogos de Verão" no Brasil?

Esses títulos nunca foram lançados no console da Microsoft, mas estavam disponíveis por meio do TNavigator 2, um aplicativo de emulação que se disfarçava de "navegador de internet" e era vendido normalmente nas lojas virtuais da dona do Xbox. Um drible e tanto para levar a pirataria a um console atual sem exigir alterações de hardware ou perda de garantia.

O app TNavigator2 dava acesso a mais de 12 mil títulos antigos de desenvolvedoras como Konami, Nintendo, Sega, SNK e outras. Ele foi retirado do ar na quinta-feira (6), dois dias após o START entrar em contato com a Microsoft, mas ainda funciona para quem o manteve instalado.

Era possível encontrar o aplicativo tanto via Xbox One quanto PC (Windows). Todos os jogos mencionados neste texto e outras dezenas foram baixados e testados no TNavigator2 no Xbox One, e nenhum apresentou problema.

TNav Geral - Reprodução/START - Reprodução/START
TNavigator 2 aparecia entre os apps mais populares na Microsoft Store até ser removido na última quinta-feira (6)
Imagem: Reprodução/START

UM NINTENDO NO SEU XBOX

O TNavigator2 entrou na Microsoft Store, a loja oficial de programas da Xbox e Windows, no final de 2019 e custava R$ 25,40 (média aproximada cinco jogos por centavo de real) no Brasil e US$ 6,79 nos EUA. A Microsoft embolsa uma comissão de 15% sobre o faturamento dos aplicativos vendidos em sua loja.

Era possível adquirir o software e até mesmo usar crédito ganho por meio do Microsoft Rewards, espécie de programa de milhagem do Bing e do Xbox.

"O melhor navegador de internet para Xbox One ;)", dizia a descrição do programa. Ao abrir o app pela primeira vez, realmente parecia um browser comum. Mas ao apertar uma estrela ao lado da barra de endereços era revelada a sua verdadeira faceta.

TNavigator - Reprodução/START - Reprodução/START
TNavigator 2 estava disponível na Microsoft Store
Imagem: Reprodução/START

NAVEGADOR PESADÃO

Um navegador de internet gratuito oferecido pela Finebits pesa 35 megabytes; já o TNavigator2 ocupava 2GB, 50 vezes mais. Antes de ser removido, ele constava como um dos apps de entretenimento pagos mais populares da plataforma.

Pelo preço base o jogador tem acesso a jogos de plataformas como NES, Super NES, Gameboy Advance, Master System, Mega Drive e fliperamas. Ao pagar mais R$ 1,90 por mês o TNavigator prometia acesso a outros 14 sistemas, entre eles PlayStation, Game Gear e Atari 2600.

A mensalidade é apresentada como uma "doação". "Nosso projeto tem uma missão bem ambiciosa de criar um sistema de streaming de jogos onde você seleciona o jogo, baixa e joga, para manter isso precisamos de servidores potentes e disponibilizar de tempo para manutenções e melhorias", afirmam os criadores do programa na seção de doação.

O programa é da brasileira Trevisan Apps & Games. Além do emulador, a Trevisan oferece o T-IPTV, que dá acesso a diversos canais televisivos por meio do Xbox One. O T-IPTV, assim como diversos outros apps que prometem acesso a conteúdo pirata, continua à venda na Microsoft Sotre.

O START tentou entrar em contato com a Trevisan desde julho, mas não obteve retorno. Em uma postagem na comunidade oficial de Facebook, Bruno Trevisan, que se apresenta como o responsável pelo TNavigator, afirmou ter 148,5 mil usuários em mais de 50 países.

O fórum tem postagens predominantemente em português brasileiro. Alguns usuários afirmam em espanhol e inglês não compreender o idioma oficial da interface. Outros fazem pedidos de mais sistemas. O Nintendo 64 é um dos mais solicitados.

Xbox One - Divulgação - Divulgação
Aplicativo TNavigator2 era listado como "navegador de internet", mas funcionava como emulador de jogos piratas
Imagem: Divulgação

CONQUISTAS EM JOGOS ANTIGOS

Post Bruno - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Atualizações do app eram comentadas no grupo de Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

O TNavigator oferece até conquistas, um dos recursos mais adorados pelos fãs de Xbox, nos jogos piratas retrô que ele roda.

Por meio do "browser", dá para se conectar ao Retroachievements, comunidade que cria conquistas para jogos clássicos por meio de emulação. Mais de 3.000 jogos estão cadastrados no Retroachievements.

Por meio dele, feitos como passar da primeira fase de Metal Slug ou subir no Yoshi pela primeira vez em Super Mario World geram um registro no perfil do jogador, tal qual os troféus do PlayStation ou as conquistas do próprio Xbox.

"Graças ao TNavigator realizei meu sonho de nintendista de pegar uma conquista em jogo do Mario", conta um usuário que deu entrevista sob a condição de não ser identificado. A Nintendo é a única das grandes fabricantes a não ter esse tipo de recurso em seu console, o Switch.

Esse mesmo jogador relata não sentir peso na consciência por jogar no TNavigator em razão de ter adquirido os mesmos jogos no passado ou aproveitar apenas títulos que não são mais distribuídos.

Porém, o advogado Cristiano Prestes Braga, mestrando em propriedade intelectual, afirmou que esse não é o entendimento jurídico. "Quando um usuário adquire um game em mídia física, ele está aderindo a um contrato de licenciamento de uso com regras específicas e pré-definidas, e que na maioria das vezes proíbe a cópia e limita o direito de uso a partir daquela mídia específica", disse, em entrevista por e-mail, falando apenas em tese sob o caso, que não vale como parecer jurídico oficial.

Segundo ele, jogos se enquadram na Lei do Programa de Computador e Lei de Direitos Autorais. A pena vai até dois anos de detenção. "A legislação brasileira não distingue a responsabilidade do fornecedor e do usuário", afirma.

TNAVIGATOR 3

TNavigator Netflix - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
TNavigator 2 era divulgado como "o real Netflix dos games"
Imagem: Reprodução/Facebook
Dias antes de o programa cair, os moderadores da comunidade da Trevisan Apps & Games postavam artes publicitárias apresentando o TNavigator2 como "o real Netflix dos games". O apelido do Game Pass, o principal serviço do Xbox, é justamente "Netflix dos games".

Após o jogo ser removido, Bruno Trevisan esclareceu na comunidade que já esperava que isso aconteceria. "Nada mudou vou lançar o 3 que vai mostrar gratuito para quem tem o 1 e 2" (sic), escreveu Trevisan. Segundo ele, o plano agora é lançar a nova versão como um jogo para obter mais recursos do hardware.

"Se eu fizer como jogo teremos 8gb de memória alem de 8 processadores de 1.75ghz oque nós da possibilidade de criar novos recursos além de funcionar as transmissões ao vivo que tem no Xbox one, com isso acho que vale a pena perder uns 2 dias pra tentar fazer passar como jogo" (sic), avisou.

OUTROS EMULADORES

TNav - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Post no Facebook repercute a exclusão do aplicativo e dá orientações aos usuários
Imagem: Reprodução/Facebook
O TNavigator2 não é a única opção de emulador disponível no Xbox One. É possível usufruir gratuitamente de jogos de NES, Super Nes, Mega Drive e Gameboy por meio do NESBox. Ele não precisa ser instalado. Basta acessar por meio do navegador Edge e guardar as ROMs (arquivo com os dados do jogos) no serviço de armazenamento Onedrive --ambos os serviços são da própria Microsoft.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Microsoft disse não permitir emuladores e enviou links em inglês com as normas da Microsoft Store.

NOTA DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

O Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP), instância do Ministério da Justiça e Segurança Pública, enviou um comunicado ao START após a publicação desta reportagem.

A nota cita que "os fatos narrados pelo jornalista merecem atenção do CNCP, embora até o momento, não tenhamos nenhuma denúncia formal sobre o tema". O CNCP afirma que serão solicitadas mais informações para uma investigação detalhada:

"Desse modo, os fatos narrados ainda necessitam de análise de nossa parte, considerando que podem haver disputas comerciais e litígios que não se configuram, propriamente, como pirataria virtual. Assim, objetivando esclarecer os fatos e a controvérsia existente, solicitamos informações às associações do Setor, de forma a obter maiores dados que permitam a atuação do CNCP e eventual investigação, por parte das autoridades competentes, de crime, caso configurado."

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol