Topo

Radar


Pacer: um sucessor de Wipeout com influências de F-Zero

Pacer tem muito de Wipeout, mas também de F-Zero - Divulgação
Pacer tem muito de Wipeout, mas também de F-Zero Imagem: Divulgação

Bruno Izidro

Do START, em São Paulo

04/10/2019 04h00

Carros voadores a 900 km/h eram comuns nos videogames dos anos 90, época em que jogos como "F-Zero" e "Wipeout" entretinham os amantes de corridas mais futuristas. Agora, "Pacer" quer trazer de volta a sensação de velocidade absurda, somada com elementos de combate nas pistas virtuais.

O START conversou com o gerente do estúdio inglês R8 Games, Steve Illes, e o game designer Carlton Gaunt. Eles falaram sobre essas influências do passado, inovações e as mudanças de um jogo que já existe há dois anos.

"Pacer" tem previsão de lançamento no começo de 2020 para PlayStation 4, Xbox One e PC. Ele é uma versão revista e ampliada de "Formula Fusion", game que surgiu após uma bem-sucedida campanha no Kickstarter, em 2015: arrecadou quase 80 mil libras e depois chegou ao Steam por acesso antecipado, em 2017.

A proposta era trazer esse estilo mais arcade e futurista visto nos clássicos da Nintendo e Sony. Inclusive, o jogo tem a colaboração da The Designer Republic, um famoso estúdio de design gráfico britânico responsável pela estética dos primeiros "Wipeout".

O game designer Carlton Gaunt diz que eles pretendem conquistar fãs tanto de "Wipeout" quanto de "F-Zero". "Pacer oferece uma nova visão no equilíbrio entre velocidade, controle e energia que estavam nos fundamentos desses jogos".

START: O jogo antes era chamado de "Formula Fusion" e agora é "Pacer". Por que a mudança de nome?

Steve Illes: Mudamos o nome conforme o jogo foi ganhando mudanças significativas e novos conteúdos foram adicionados. "Pacer" é muito mais do que um DLC adicional e esse é o jogo que sempre quisemos que "Formula Fusion" fosse.

START: O que vai acontecer com aqueles que compraram "Formula Fusion" em acesso antecipado no Steam?

Steve Illes: A versão de acesso antecipado de "Formula Fusion" será atualizada gratuitamente para o Pacer. Escolhemos não colocar "Pacer" em acesso antecipado também para que o jogo seja lançado simultaneamente para PC, PS4 e Xbox One.

START: "Pacer" é mais próximo de um "Wipeout" ou de um "F-Zero"? E o que os fãs desses jogos podem esperar dele?

Carlton Gaunt: Pacer é mais próximo de "Wipeout" pelas suas mecânicas principais: as naves têm um acelerador e dois freios para ajudar a virar e diminuir a velocidade, além de múltiplas classes de naves para serem usadas.

Mas ele é mais próximo de "F-Zero" no modo como as naves restauram o escudo: "F-Zero" tinha uma variedade alta de naves que permitiam aos jogadores experimentar diferentes formas de jogar, além de ter recarregamento de escudos nas pistas - algo parecidos com o que Pacer também tem.

Ou seja, "Pacer" pegou inspirações de ambos e evoluiu essas ideias para entregar algo novo, e achamos que tanto os fãs das antigas quando os novatos vão gostar. Quem gosta de cada game pode esperar muita velocidade e também gerenciar essa rapidez para que não acabe explodindo a nave na pista. O nosso jogo entrega isso e vai oferecer uma nova visão no equilíbrio entre velocidade, controle e energia que estavam nos fundamentos desses games antigos.

Jogo também possui aspectos de combate - Divulgação
Jogo também possui aspectos de combate
Imagem: Divulgação

START: Alguns jogos futuristas da mesma linha de "Wipeout" surgiram nos últimos anos. Exemplo são "Fast RMX" e "Redout". O que vocês pretendem trazer de diferente?

Carlton Gaunt: "Pacer" recompensa o jogador que investe um tempo em desenvolver as habilidades no jogo. Ele possui uma riqueza em personalização e em como o jogador quer que sua nave seja controlada: mais rápida? Mais ágil? Forte? Com alta aceleração?

As armas também têm uma nova abordagem, um uso personalizado: dano, munição, tamanho da explosão e muito mais pode ser mudado, o que significa que jogadores terão muitas opções para revidar. O mundo também é mais detalhado: equipes de corrida têm patrocinadores que colocam anúncios em volta das pistas e no ambiente, além de criar modificações para que os jogadores usem nas naves e armas.

Os pilotos controlados por computador também usam de "aprendizado de máquina" para entregar uma sensação mais realista e até personalidade: alguns são focados em velocidade e outros mais em tunagem ou mesmo nas armas para a destruição.

No fim, uma grande diferença é que "Pacer" usa armas enquanto "Redout" e "Fast RMX" não.

Divulgação
Imagem: Divulgação

START: Southern Star. Midas AG. Garuda. Dragon Star. O que são essas companhias? "Pacer" vai ter algum tipo de modo história?

Carlton Gaunt: As companhias que você mencionou são nossos times de corrida. Teremos dez no jogo que representam grupos de países em volta do mundo que, no contexto do game, se juntaram para investir em recursos, tecnologia e pessoas para competir em um esporte de alta velocidade.

A América do Sul é representada pelo time Neumeyer-Tronics Novam, por exemplo. Cada time tem sua própria marca e iconografia criada pelo estúdio The Design Republic, além de ter a própria história e patrocinador para financiar a tecnologia das naves e armas.

O jogo terá um modo carreira em que os jogadores estarão no papel de um piloto iniciante que é abordado pelos times de corrida para representá-los e enfrentar uma série de desafios. Com cada time com sua própria identidade, eles também terão seus próprios objetivos para o jogador completar nas corridas.

START: Pacer vai ter uma moeda dentro do jogo chamada "Tech Credits", mas ela será ganha por algum tipo de microtransação com dinheiro real?

Steve Illes: Não. Não haverá nenhuma forma de os jogadores usarem dinheiro real para influenciar a jogabilidade em Pacer e estamos comprometidos com esse objetivo. Se existir algo que mudará a mecânica, essa opção ficará acessível por meio do próprio jogo ou será disponível para todos. Qualquer microtransação em "Pacer" será somente por itens cosméticos.

START: O jogo terá 14 pistas no total em diferentes regiões do mundo. Terá alguma pista no Brasil?

Steve Illes: No lançamento, não haverá pista localizada no Brasil, mas temos uma pista não revelada que fica muito perto do país e estamos bem empolgados. Dependendo do sucesso do jogo, temos planos de lançar novas pistas no futuro.

Mesmo sem pista no Brasil, uma novidade para o público brasileiro é que uma versão demo de "Pacer" estará disponível na Brasil Game Show 2019, que acontece entre os dias 9 e 13 de outubro, em São Paulo.

Inclusive, haverá um mini-torneio com o público do evento e premiação em dinheiro. O campeão receberá R$ 250, o vice fica com R$ 150 e o terceiro lugar com R$ 100.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

Mais Radar