Topo

Nintendo


Para onde manda o currículo? Nintendo paga em média R$ 25 mil por mês

O console Nintendo Switch - Divulgação/Nintendo
O console Nintendo Switch Imagem: Divulgação/Nintendo

Do GameHall

01/03/2019 15h37

Por meio de uma página de recrutamento em seu site oficial, a divisão japonesa da Nintendo divulgou algumas informações sobre o salário anual, quantidade de horas de trabalho e o tempo médio de permanência na empresa. Em média, os funcionários trabalham em torno de 7 horas e 45 minutos por dia e a média de idade é de 38 anos.

Dos salários, o valor médio anual é de US$ 80 mil (cerca de R$ 302 mil reais na cotação de hoje). Por mês o salário fica em torno de R$ 25 mil reais.

O tempo médio de permanência da empresa é de 13 anos e 6 meses e a produtora tem 2271 funcionários.

O tempo de permanência foi bem comentado pelos jogadores nas redes sociais e fóruns de discussão, ainda mais após toda a polêmica da Rockstar com o "Red Dead Redemption 2". Em outubro o co-fundador da Rockstar Dan Houser comentou em uma entrevista que os funcionários "as vezes trabalhavam 100 horas por semana", acendendo a polêmica do excesso de trabalho em épocas de "crunch". O "crunch" é quando um jogo está em fase final de desenvolvimento e muitas vezes os funcionários acabam fazendo horas extras para finalizar etapas importantes do desenvolvimento dentro do prazo estipulado.

Também tem a questão da quantidade de horas semanais, algo incomum para o país onde os funcionários acabam trabalhando muito mais do que a média de outros países desenvolvidos da Europa. Anteriormente o governo do Japão começou a incentivar os trabalhadores a tirarem folga em uma manhã de segunda-feira por mês, para reduzir o número de horas extras que os japoneses fazem e gerar um maior equilíbrio entre suas vidas profissional e pessoal.

O excesso de trabalho é uma preocupação constante das autoridades, pois desde 1960 que o país registra casos de karoshi, ou morte por excesso de trabalho, causada principalmente por doenças cardíacas e mentais associadas a horas exaustivas no emprego.

Curiosamente, este ano Reggie Fils-Aimé, CEO da Nintendo norte-americana, permaneceu na empresa por 15 anos, um pouco mais do que a média dos funcionários. O executivo anunciou a aposentadoria recentemente e deixará o cargo em abril, para ter mais tempo com a família e amigos.

Siga o UOL Start no

Mais Nintendo