PUBLICIDADE

Topo

Nintendo


Ida de jogadores de "Pokémon GO" a Fukushima preocupa governador local

Complexo de usinas nucleares foi atingido por um terremoto seguido de tsunami em 2011 e área ao redor foi contaminada - Reprodução/360doc
Complexo de usinas nucleares foi atingido por um terremoto seguido de tsunami em 2011 e área ao redor foi contaminada Imagem: Reprodução/360doc

Do UOL, em São Paulo

27/07/2016 12h41

O governador de Fukushima, Masao Uchibori, afirmou em entrevista ao jornal The Japan Times que considera fazer um apelo formal para que jogadores de "Pokémon GO" mantenham distância do complexo nuclear local. As usinas de energia foram atingidas por um terremoto seguido de tsunami em 2011, o que causou a contaminação da área com resíduos nucleares e motivou a evacuação da população local.

A Tepco, responsável por administrar este e outros complexos de usinas nucleares, por sua vez, afirmou que entrou em contato com a Niantic, produtora do game, pedindo para remover pontos de interesse do jogo de suas instalações.

Segundo um porta-voz da empresa, o game já foi banido dentro das usinas. "Você não pode entrar e capturar um Pokémon. Nós tomamos medidas nesse sentido".

No caso de Fukushima, porém, a área contaminada se estende além das cercas da usina em si, o que torna quase impossível evitar a possível entrada de jogadores.

A situação é ainda mais perigosa considerando que a Niantic mantém pontos de interesse do game ativos em algumas áreas menos restritas nas cercanias da usina afetada de Fukushima. De acordo com a companhia, isso ocorre para que os moradores locais possam jogar o game quando voltarem temporariamente para suas casas.

A Pokémon Company, por sua vez, disse que é política da Niantic não colocar nenhum Pokémon dentro de usinas nucleares - um bug do game fez com que os monstrinhos aparecessem nesses locais o que, segundo um porta-voz da empresa, já foi corrigido.  

Veja como funciona "Pokémon GO" nos Estados Unidos

Start

Nintendo