PUBLICIDADE

Topo

Jogos pagos podem ficar ainda mais caros através de microtransações

Rodrigo Guerra

Do UOL, em São Paulo

22/04/2015 10h00

Você lembra do truque das 99 vidas do "Sonic 2"? Do código da Konami? Há algum tempo, era normal ver "dicas de jogos" em capas de revistas de videogames. Isso aos poucos foi sumindo até que, mais recentemente, voltaram com tudo, mas numa forma um pouco mais capitalista. O exemplo mais recente é o Fatality fácil de "Mortal Kombat X" que pode ser feito pressionando apenas dois botões, mas no lugar de fazer um truque, isso agora é cobrado do jogador em forma de microtransação.

Esse termo, que parece ter saído de um dicionário de 'ecomomiquês', é atualmente a principal forma de fazer jogos Free To Play (grátis para jogar) se tornarem rentáveis. Os pirulitos de "Candy Crush Soda Saga", por exemplo, são comprados em pacotes usando dinheiro real.

Porém diferente de "Candy Crush Soda Saga", que é grátis para baixar, games com o "Evolve" e "Mortal Kombat X" são pagos (uma pequena fortuna, diga-se de passagem) e usam as microtransações para conseguir um pouco mais de dinheiro dos consumidores.

Começando com o exemplo mais recente, "Mortal Kombat X", que tem pacotes com 5 Fatalities fáceis que custa R$ 2,50 ou o pacote com 30 que sai por R$ 11.

Além dos Fatalities fáceis, o jogo possui um outro tipo de microtransação que é vendida nas lojas dos videogames: a liberação do conteúdo secreto, como Brutalities, Fatalities secundários, artes, músicas e mais uma infinidade de bônus que estão escondidos naKripta, um modo de jogo que poderia ser descrito como "caça ao tesouro". Para habilitar todos os itens desse modo, o jogador pode pagar R$ 39 e, literalmente, não ter que jogar esse modo.

A reclamação por parte dos jogadores é que esse conteúdo que hoje é vendido, antigamente seria um truque - e que as revistas de videogames acabariam divulgando.

A tabela abaixo mostra como "Mortal Kombat X" pode ficar muito mais caro, caso você pague por todas as microtransações que existem no jogo.

O PREÇO TOTAL DO "MORTAL KOMBAT X"

Jogo nos consolesR$ 250
Pacote de KombateR$ 70
Desbloqueio da CriptaR$ 39
Pacote com 5 Fatalities FáceisR$ 2,50
Pacote com 30 Fatalities FáceisR$ 22
Sub-Zero Blue SteelR$ 4,50
GoroR$ 10
PREÇO TOTALR$ 387

"Evolve" é outro título recente que está usando e abusando das microtransações para se tornar um pouco mais rentável. Isso vai das roupinhas para personagens, que são vendidas por R$ 4 e a dos monstros que não saem por menos de R$ 6.

E vem mais por aí: a Turtle Rock, produtora do game, prometeu lançar novos monstros e caçadores no futuro, todos pagos. O único conteúdo grátis de "Evolve" serão os mapas.

"Ao invés de jogar um monte de boas ideias fora, por que não juntá-las e colocá-las num DLC? O que esperamos é que as pessoas percebam o quanto os caçadores e monstros adicionam ao jogo, e que sintam que isso vale o investimento. Não há nada aqui que force as pessoas a gastar mais dinheiro com o game do que o que acharem confortável”, disse Phil Robb, um dos fundadores da Turtle Rock, em um comunicado no fórum oficial de “Evolve”.

Assim como "Mortal Kombat X", "Evolve" pode acabar ficando muito mais caro do que os R$ 250 que são cobrados pelo jogo e isso pode ser um dos motivos pela comunidade não ter se engajado tanto com o game. A verdade é que essa prática chegou para ficar nos games para consoles, resta saber se a estratégia de "Mortal Kombat X" vai afetar sua credibilidade perante a comunidade.

  • As microtransações de "Evolve" fizeram com que a comunidade do game não fosse tão engajada quanto em outros games online

Participe da discussão

As microtransações foi o tema do Playground, o programa em áudio do UOL Jogos que foi ao ar hoje (22), no qual debatemos sobre o assunto. No podcast discutimos quais jogos fazem bom uso das microtransações, quais os que não fazem e qual a diferença entre isso e um conteúdo extra por download.

O programa pode ser ouvido logo abaixo, basta apertar play ou baixar para seu computador ou smartphone.

Vale lembrar que o Playground é um podcast e como tal,  você pode assinar o feed de episódios para receber o arquivo no momento em que ele ficar disponível.

Uma das coisas importantes é que o ouvinte também pode participar do programa. Para isso basta enviar um e-mail para uol-jogos@uol.com.br. Esse é o canal direto com a redação do UOL Jogos onde você pode sugerir assuntos, fazer críticas, comentários e o falar que mais quiser. Só não esqueça de colocar a palavra "Playground" no assunto da mensagem para nos ajudar a encontrar seu e-mail em nossa caixa postal.

Desce pro Play

O Playground é um podcast que surgiu para substituir o programa de vídeo Papo da Redação. Ou seja: nosso bate-papo semanal que era exibido em vídeo vai continuar a existir, mas agora em formato de áudio.

Podcast é o nome dado ao arquivo de áudio digital publicado na internet e que pode ser reproduzido em computadores, tocadores de MP3, smartphones e outros aparelhos. Esse tipo de mídia é uma forma de levar conteúdo para ouvintes como se fosse um programa de rádio.

O Playground é o podcast do UOL Jogos, que tem novos capítulos todas as quartas-feiras.