PUBLICIDADE

Topo

Com Maracanãzinho cheio, UOL Jogos questiona: seria "LoL" um esporte?

Pedro Henrique Lutti Lippe

Do UOL, no Rio de Janeiro*

28/07/2014 10h00

Eles podiam estar em estádios de futebol ou em frente à TV no último sábado (6), mas preferiram assistir às finais brasileiras de "League of Legends". Mais de 6 mil pessoas compareceram ao Ginásio do Maracanãzinho para acompanhar a disputa entre CNB e KaBuM!, e outras 116 mil acompanharam as partidas de casa pela internet.

E enquanto a KaBuM! sagrava-se a grande campeã do Circuito Brasileiro em 2014, UOL Jogos questionava: afinal, se "LoL" consegue lotar o Maracanãzinho, ele já não pode ser considerado um esporte?

Conversamos com espectadores, narradores e jogadores em busca da resposta para essa pergunta. Confira:

  •  

Tradicionalmente, apenas competições que giram em torno de atividades físicas são consideradas esportes. Mas algumas modalidades focadas no elemento mental já conseguiram quebrar essa barreira. Xadrez e o jogo de cartas bridge, por exemplo, são considerados esportes pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

BASTIDORES

  • Antes da grande final, UOL Jogos acompanhou os bastidores da preparação do Maracanãzinho para o evento. Assista aqui.

Em partes do mundo, eSports também já fizeram o mesmo. Nos EUA, jogadores de "League of Legends" conseguem entrar e sair do país com tranquilidade por terem direito a pedir vistos de atleta.

O crescimento exponencial do número de jogadores - só "LoL" já tem mais de 67 milhões - faz com que o reconhecimento do eSport como esportes seja uma tendência. Outras provas do poder do gênero, como a premiação total de mais de US$ 10 milhões para o campeonato mundial de "Dota 2" e o fato de que este foi transmitido pela ESPN 2 na TV americana, reforçam essa ideia.

Com a vitória por 3 a 1 na série melhor de 5 sobre a CNB, a KaBuM! garantiu uma vaga para o International Wild Card Tournament. Sua participação na competição acontecerá na cidade de Seattle, nos EUA, no fim de agosto. Caso vençam a equipe latinoamericana PEX Gaming lá, os brasileiros estarão classificados para o mundial como um dos 16 melhores times de "LoL".

Até hoje, nenhum time brasileiro participou do mundial.

*O jornalista viajou a convite da Riot Games