PUBLICIDADE

Topo

GGWP

De São Paulo a Bangladesh: como a torcida da MiBR no R6 fez história

Divulgação/MIBR
Imagem: Divulgação/MIBR
Leo Bianchi

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CS:GO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e pro-player frustrado. No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, jogadores e novidades em geral.

Colunista do UOL

28/11/2020 09h00

Um dos principais trunfos do Brasil no esporte sempre foi a força da torcida. Arquibancadas vibrantes, caracterizadas por um estilo único e fervoroso, são destaque no mundo inteiro toda vez que se fala de eventos no país. Os fãs de games não são diferentes. No esporte eletrônico, o apoio, presencial e online, também é notável. Uma prova disso, para lá de peculiar, se deu nesta sexta-feira (27) em uma partida entre times de... Bangladesh e Sri Lanka.

Não, você não leu errado. Com um público médio de 15 mil pessoas, a partida entre MercenarieZ e Union Gaming, válida pela decisão da divisão Sul da APAC (região Ásia/Pacífico) atraiu muitos brasileiros. Isso porque, caso o time de Bangladesh levasse a melhor, a brasileira MiBR se classificaria para o Six Invitational 2021 por meio do ranking geral de pontos. Deu certo: a MercenarieZ levou o jogo, e o público nacional foi ao delírio.

Será a primeira vez que o principal torneio do cenário competitivo mundial de Rainbow Six Siege contará com cinco representantes brasileiros. Anteriormente, FaZe Clan, Ninjas in Pyjamas, Team Liquid e Team oNe já haviam garantido suas respectivas vagas. Ainda há chance de esse número ampliar para seis, por meio da qualificatória da América Latina. Mais uma prova da força nacional no FPS desenvolvido pela Ubisoft.

Mking - Divulgação/MIBR - Divulgação/MIBR
MKing, jogador da MiBR no Rainbow Six Siege
Imagem: Divulgação/MIBR

O momento é bastante propício para o fato. No início deste ano, em fevereiro, a NiP foi vice-campeã do Invitational - batendo na trave ao perder a final para a americana Spacestation Gaming. Antes, o Brasil já havia chegado à semifinal em duas oportunidades: primeiro, com o Santos Dexterity, em 2017; depois, com a Black Dragons, em 2018. O troféu parece cada vez mais maduro para o país.

A MiBR, que se classificou "no rebote" da MercenarieZ, aliás, decide o Campeonato Brasileiro de Rainbow Six no próximo domingo, contra a Team Liquid. A força da tag certamente contou muito para fazer com que a torcida "atravessasse o planeta" online para torcer pela vaga no Invitational. Tradicional no CS:GO, a organização agora tenta fazer história e levantar taças também em outra modalidade de FPS.

Ano após ano, o Rainbow Six Siege brasileiro segue sendo muito respeitado em outros países ao redor do mundo, e os torcedores mostram um engajamento cada vez maior com as representantes nacionais perante os times estrangeiros. Em 2020, a premiação do Invitational ultrapassou US$ 3 milhões. Que o próximo ano nos reserve a melhor fatia, seja qual for a organização.

Chat Twitch R6 - Reprodução/Twitch - Reprodução/Twitch
No chat da Twitch, símbolos da MiBR e mensagens de "aqui é Brasil" na torcida pelo time de Bangladesh
Imagem: Reprodução/Twitch

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.