PUBLICIDADE
Topo

Silvio prepara volta ao Brasil; SBT espera Globo para mexer nas tardes

Silvio Santos, dono e apresentador do SBT - Lourival Ribeiro/SBT
Silvio Santos, dono e apresentador do SBT Imagem: Lourival Ribeiro/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

19/03/2019 06h03

Silvio Santos, 88 anos, dono do SBT deve voltar ao Brasil nas próximas horas, vindo de Orlando, EUA, onde passa vários meses por ano em férias (não critico).

A expectativa é grande na sede da emissora, em Osasco. Silvio é imprevisível tanto quando sai de férias, como quando volta. Na ida, na estada e na volta ele costuma mexer bastante na programação (ou seja, sempre).

No entanto, Silvio deve esperar a Globo anunciar antes sua grade de programação 2019 antes de mexer na do SBT.

Segundo a coluna apurou, seu "alvo" é melhorar as tardes de sua emissora. Especificamente, o "Fofocalizando", que tem perdido para a Record com frequência.

A Record está num bom momento e com ótimos resultados com o "Balanço Geral" e sua faixa de novelas vespertinas.

No entanto, há várias possibilidades e projetos em estudo no Complexo Anhanguera.

Lembram da "revista eletrônica" matinal que já foi assunto desta coluna no passado? Uma das hipóteses é transferir o "Fofocalizando" para as manhãs. Ele corre risco de ser a tal "revista". Mas, como disse, isso ainda é só um estudo. A ideia de uma "revista" é antiga na casa.

Ainda brigando pela vice-liderança com a Record ao nível das casas decimais no ibope, o SBT tem levado a pior nas médias (decimais) tanto no Painel Nacional de Televisão como na Grande São Paulo, principal mercado da publicidade nacional.

Nos finais de semana, porém, dias mais valiosos para a publicidade, o SBT tem obtido resultados melhores que os da Record.

E a emissora de Silvio parece que acaba de dar uma grande "bola dentro" aos sábados, com o novo e lucrativo "Programa de Maisa".

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL