PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Discovery exibe filme sobre resgate de garotos em caverna na Tailândia

Cena do documentário sobre resgate de garotos em caverna na Tailândia, do Discovery Channel - Discovery/Divulgação
Cena do documentário sobre resgate de garotos em caverna na Tailândia, do Discovery Channel Imagem: Discovery/Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

18/07/2018 00h09

O canal pago Discovery exibe neste sábado, 22h15, o documentário “Operação Resgate: Caverna na Tailândia”, inédito no Brasil.

Com uma hora de duração, feito a toque de caixa pela equipe do canal, o filme conta a saga dos 12 garotos e seu treinador-monge que ficaram presos numa caverna entre a fronteira da Tailândia e Myanmar.

Todos receberam alta e foram liberados pelo hospital tailandês onde estavam internados nesta quarta-feira.

Por duas semanas, equipes militares e de especialistas de todo o mundo --no total mais de 2.000 pessoas-- se mobilizaram para salvar o time de futebol Javalis Selvagens.

O documentário se propõe a responder visualmente a várias questões do tipo: como eles sobreviveram tanto tempo sem comida? Como cada menino foi retirado? Qual era a estrutura geológica da caverna?  Por que eles estavam ali?

O documentário foi feito pelo Discovery Channel em parceria com a ITN Productions.

Os produtores tiveram acesso exclusivo a vários membros das equipes de resgate, bem como familiares dos garotos, além de muitos detalhes técnicos sobre esta que já é considerada uma das mais complexas operações de resgate de todos os tempos.

O quê: “Operação Resgate: Caverna na Tailândia
Onde: Discovery Channel
Quando: Sábado, 22h15 e reprise no dia 26 às 23h05

LEIA MAIS

Meninos resgatados em caverna recebem alta de hospital

A história completa do incrível resgate dos "garotos da caverna"

Em novo vídeo, garotos e treinador agradecem equipe de resgate

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL