PUBLICIDADE
Topo

DJ Ivis se pronuncia pela 1ª vez após deixar a prisão: 'Sei que errei'

DJ Ivis publicou um texto no Instagram declarando que está contando com acompanhamento profissional - Reprodução/Instagram
DJ Ivis publicou um texto no Instagram declarando que está contando com acompanhamento profissional Imagem: Reprodução/Instagram

De Splash, em São Paulo

05/11/2021 13h17Atualizada em 05/11/2021 15h05

DJ Ivis se pronunciou pela primeira vez desde que deixou a prisão, em outubro. O artista passou quase 4 meses detido após ser acusado de agredir a ex-mulher, Pamella Holanda. Ela compartilhou nas suas redes sociais uma série de vídeos que mostrava o artista a atacando com tapas, socos e chutes.

"Por muitas vezes eu disse que começo a produzir pelo refrão. Hoje, trago este pensamento para minha vida, quero recomeçar a partir de onde me perdi. Não é possível apagar o passado. Sei que errei. Mas também sei que posso ser uma pessoa melhor", iniciou o músico.

Ele afirmou que é difícil entender um erro no "calor do momento", mas que teve tempo para repensar.

Sou um ser humano que deseja ser melhor. E que não vai poupar esforços para conseguir. Aprendi a importância de ter um acompanhamento profissional para me entender melhor. Acreditem, isso faz total diferença. Sei que não vai ser fácil, mas esta será minha busca. Agarrar com coragem e amor toda chance que me for dada. DJ Ivis

"Quero poder olhar para minha filha, quero que ela tenha orgulho da transformação do pai. É hora de seguir e recomeçar a vida daqui. Tenho cumprido todas as determinações judiciais e assim seguirei. Minha filha merece ser protegida, amparada e amada", concluiu DJ Ivis.

Após o músico ser solto, Pamella afirmou que não se sentia segura.

"Obviamente não me sinto segura nem plenamente satisfeita com os atuais fatos, mas eu preciso honrar com meus compromissos profissionais e continuar com minhas obrigações pessoais, tomando todas as medidas possíveis por segurança, não só física, mas emocional", escreveu no Instagram.

Pamella Holanda também disse que recebeu comentários machistas — quase todos feitos por mulheres.

Prisão de DJ Ivis

Ivis foi preso preventivamente no dia 14 de julho. Pamela já havia ido à polícia e feito um boletim de ocorrência por agressão contra Ivis no dia 3 de julho. No dia seguinte, o MP (Ministério Público) solicitou uma medida protetiva para a mulher e a filha, o que foi concedido pelo TJ-CE.

Em 27 de julho, o músico foi indiciado pela Polícia Civil do Ceará por três crimes: lesão corporal, ameaça e injúria no âmbito da violência doméstica.

No mês passado, a Justiça do estado do Ceará aceitou a denúncia do MPCE (Ministério Público do Ceará), e o artista ainda se tornou réu por lesão corporal e ameaça — com circunstância agravante.

Pedidos de habeas corpus negados

No dia seguinte à prisão, a defesa do artista entrou com pedido de conversão da prisão de Ivis em medidas cautelares, como o uso da tornozeleira. A solicitação, no entanto, foi negada.

Antes da decisão anunciada hoje, foram seis os pedidos de habeas corpus em favor do músico — todos negados. O último, no início de setembro, foi recusado por Gilmar Mendes, ministro do (STF) Supremo Tribunal Federal.

Como denunciar violência contra a mulher

Mulheres que passaram ou estejam passando por situação de violência, seja física, psicológica ou sexual, podem ligar para o número 180, a Central de Atendimento à Mulher. Funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo Whatsapp no número (61) 99656-5008.

Também é possível realizar denúncias de violência contra a mulher pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil e na página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH), do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).