PUBLICIDADE
Topo

Belo chora após deixar prisão e pede 'justiça': 'Grito em silêncio'

De Splash, em São Paulo

18/02/2021 14h31Atualizada em 18/02/2021 16h02

O cantor Belo fez sua primeira aparição após ser preso preventivamente ontem. O cantor foi liberado hoje, após o desembargador do TJRJ Milton Fernandes de Souza acatar o pedido de habeas corpus expedido durante a madrugada.

Nos Stories do Instagram, Belo postou uma série de vídeos em silêncio e chorando. O cantor não disse nenhuma palavra na publicação feita na plataforma digital:

Grito em silêncio. Gratidão a todos. Deus é maior. Justiça!"

Na sequência, Belo aparece com semblante triste, com lágrimas no rosto e balançando a cabeça, fazendo sinal de negativo. O cantor colocou emojis simbolizando um silenciamento da sua voz.

Segundo Gracyanne Barbosa, mulher do cantor, ele já está em casa após a liberação. "Não sei sobre os próximos capítulos, entrego na mão de Deus. E só em saber que tenho o apoio e carinho de vocês, isso já conforta e muito", disse.

Belo deixou o sistema prisional de Benfica na manhã de hoje. O cantor é investigado pela realização de um show no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, durante a pandemia do novo coronavírus, o que levou a polícia pedir sua prisão preventiva.

Segundo a Polícia Civil, o cantor responde por quatro crimes: infração sanitária, crime de epidemia, invasão a prédio público e organização criminosa.

O evento, que aconteceu no interior da Escola Estadual do Parque União, não foi autorizado pela Secretaria Municipal de Saúde e nem pela Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro. Segundo a defesa, ele foi contratado por R$ 65 mil para fazer o evento na madrugada do último sábado, conforme informado pelo documento que o UOL teve acesso.

Belo prestou depoimento e disse que não sabia que o local era em uma região com tráfico de drogas e que a responsabilidade da organização era da produtora Série Gold.

Os donos dela, Célio Caetano e Henrique Marques, também foram presos preventivamente, além de Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, apontado como chefe do tráfico no Parque União.