Lucas Pasin

Lucas Pasin

Siga nas redes
Reportagem

Naiara Azevedo diz ter descoberto que patrimônio não está em seu nome

Naiara Azevedo contou à polícia, na noite de quarta-feira (29), que vive uma guerra com o ex-marido, Rafael Cabral, por conta do patrimônio conquistado por eles durante o casamento. A sertaneja diz ter descoberto que vários de seus bens não estão em seu nome.

Casas, fazenda e veículos de luxo são citados por Naiara Azevedo no boletim de ocorrência. Ela afirma que os bens foram obtidos pelo trabalho de ambos, e são administrados pelo ex-marido e irmãos, não estando registrados no nome dela.

Naiara afirma ainda que assinou uma procuração para Maria José Alves Cabral, mãe do ex-marido, falecida recentemente, dando plenos poderes a ela sobre todos os seus bens. A cantora diz que foi pressionada pelo ex-marido para assinar o documento.

Ainda para a polícia, Naiara afirma que todo o patrimônio do ex-marido e dos irmãos dele foi construído por meio do trabalho em conjunto dela e do ex, que foi seu empresário. Ela, no entanto, diz não ter conseguido acesso aos frutos de seu trabalho, e afirma que a família do ex-marido dificulta que ela saiba os bens que tem fazendo pressão psicológica.

Em um comunicado, enviado a esta coluna de Splash, o empresário assume seus erros enquanto marido de Naiara, e diz receber com estranheza as acusações.

Humildemente reconheço os meus erros e minhas falhas humanas enquanto marido, respeito e acolho as decisões da justiça e espero que através do diálogo possamos construir um consenso e esclarecer eventuais dúvidas e divergências. Rafael Cabral.

Entenda o caso

Naiara Azevedo denunciou o ex-marido Rafael Cabral, com quem ela foi casada de 2016 a 2021. Cabral ainda é empresário dela. Ela também acusa o ex-cunhado, Fernando Cabral, que também cuida da carreira dela.

A cantora registrou boletim de ocorrência por constrangimento ilegal, que ocorre quando uma pessoa constrange alguém com violência ou grave ameaça. Ela pediu uma Medida Protetiva de Urgência contra Rafael e Fernando, concedida pela Justiça de GO.

Continua após a publicidade

A artista já havia feito um BO contra o ex por agressão física e verbal em julho deste ano, mas eles seguiram próximos, por serem sócios da mesma empresa.

Cabral levou equipamentos de show de Naiara, sem autorização da cantora. A sertaneja afirmou ter recebido uma mensagem do empresário, dizendo que, se quisesse usar os equipamentos, teria que alugá-los. Ele ainda ameaçou "acabar com a carreira dela".

Naiara diz ter vídeos da agressão feita pelo ex, conta que ele fez um seguro de vida em seu nome, e que teme pela vida.

A assessoria de imprensa da artista também confirmou que ela esteve na delegacia e corrigiu a notícia inicial que ela teria sido agredida por um companheiro. "[Ela] não tem namorado. E o caso em questão está em segredo de justiça", responderam sucintamente. Naiara ainda não se posicionou nas redes sociais.

Naiara Azevedo é famosa pelos hits "50 reais", "Palhaça", "Pegada que Desgrama", entre outros. Ela também participou do BBB 22 (TV Globo), em que foi a terceira eliminada.

Denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 180 e denuncie.

Continua após a publicidade

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — a Central de Atendimento à Mulher, que funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo WhatsApp no número (61) 99656-5008.

A denúncia também pode ser feita pelo Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e a página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Caso esteja se sentindo em risco, a vítima pode solicitar uma medida protetiva de urgência.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes