Lucas Pasin

Lucas Pasin

Siga nas redes
Reportagem

Naiara Azevedo diz à polícia que sofreu ameaças e teme por sua vida

Naiara Azevedo, 34, procurou a Polícia Civil de Goiás na madrugada de hoje, e solicitou uma Medida Protetiva de Urgência contra o ex-marido, Rafael Cabral, e o ex-cunhado, Fernando Cabral. Ela pede que os dois não façam nenhum tipo de contato e que ambos, bem como os demais familiares deles, sejam proibidos de frequentar as duas casas dela em Goiânia.

Segundo boletim de ocorrência, divulgado em primeira mão pela colunista Fábia Oliveira, do Metrópoles, e confirmado por esta coluna de Splash, Naiara disse à polícia que teme por sua vida. Ela relatou ameaças por parte do ex-marido.

Ameaças do ex - A última ameaça, segundo Naiara, aconteceu por Rafael no dia 7 de julho. De acordo com as palavras da cantora à polícia, ele teria dito: "vou acabar com a sua vida, com a sua carreira, e você nunca mais vai me ver". Esta não seria a única vez que o ex-marido havia a ameaçado.

Seguro de vida - Ainda na ocorrência, a sertaneja informou que Rafael fez um seguro de vida em um valor muito alto para ela, tendo ele como próprio beneficiário. Isso também fez com que Naiara temesse por sua vida.

Vídeos de agressão - Naiara contou à polícia ter vídeos de violência física e ameaças feitas por Rafael. A sertaneja informou que os dois tiveram acompanhamento psiquiátrico no fim do casamento após acusações da parte dele, que a chamava de louca, e uma infidelidade por parte dele.

Renda dos shows - A sertaneja afirmou na ocorrência que nunca teve acesso à renda obtida pelo seu trabalho, alegando que tudo sempre foi administrado por Rafael e sua família. Ela acusa que valores e bens podem ter sido apropriados pelo ex-marido.

Splash entrou em contato com a defesa de Rafael Cabral, que disse não ter conhecimento da íntegra dos fatos. "Estamos apurando e levantando todas as questões, razão pela qual, no momento, não temos nada a declarar quanto a tal ponto".

A coluna também tentou contato diretamente com Rafael, que não retornou as mensagens e ligação.

Entenda o caso

Naiara Azevedo denunciou o ex-marido Rafael Cabral, com quem ela foi casada de 2016 a 2021. Cabral ainda é empresário dela. Ela também acusa o ex-cunhado, Fernando Cabral, que também cuida da carreira dela.

Continua após a publicidade

A cantora registrou boletim de ocorrência por constrangimento ilegal, que ocorre quando uma pessoa constrange alguém com violência ou grave ameaça.

A artista já havia feito um BO contra o ex por agressão física e verbal em julho deste ano, mas eles seguiram próximos, por serem sócios da mesma empresa.

Cabral levou equipamentos de show de Naiara, sem autorização da cantora. A sertaneja afirmou ter recebido uma mensagem do empresário, dizendo que, se quisesse usar os equipamentos, teria que alugá-los. Ele ainda ameaçou "acabar com a carreira dela".

A assessoria de imprensa da artista também confirmou que ela esteve na delegacia. "Porém, não tem namorado. E o caso em questão está em segredo de justiça", responderam sucintamente. Naiara ainda não se posicionou nas redes sociais.

Naiara Azevedo é famosa pelos hits "50 reais", "Palhaça", "Pegada que Desgrama", entre outros. Ela também participou do BBB 22 (TV Globo), em que foi a terceira eliminada.

Denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 180 e denuncie.

Continua após a publicidade

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — a Central de Atendimento à Mulher, que funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo WhatsApp no número (61) 99656-5008.

A denúncia também pode ser feita pelo Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e a página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

Caso esteja se sentindo em risco, a vítima pode solicitar uma medida protetiva de urgência.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes