PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Fefito

Três erros da Record que fizeram 'A Fazenda' cair no marasmo

Jojo Todynho parou de brigar depois de ouvir recado de Marcos Mion - Reprodução / Internet
Jojo Todynho parou de brigar depois de ouvir recado de Marcos Mion Imagem: Reprodução / Internet
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

09/11/2020 12h03

Resumo da notícia

  • Nas últimas semanas, reality show entrou em clima de "colônia de férias", com menos tensões que antes
  • Ao invés de estimular conflitos entre os participantes, emissora decidiu pedir para que alguns ficassem calmos
  • Da mesma maneira, informações externas e erros em provas acabaram por interferir no andamento do jogo

Os últimos dias não têm sido os mais empolgantes para espectadores de "A Fazenda". Depois de semanas promissoras, o reality rural da Record parece ter entrado em uma onda de marasmo. Antes um celeiro de tensões e barracos, o programa vive uma espécie de ressaca, com brigas pouco empolgantes e jogo estagnado.

Embora a audiência siga alta, sempre acima dos dez pontos e garantindo a vice-liderança, existem razões pelas quais a atração parece estar em clima de que acabou antes do tempo. A coluna lista três delas a seguir.

Interferência direta da direção no comportamento de participantes - Na terceira semana, quando Carol Narizinho foi eleita fazendeira, a ex-panicat foi duramente criticada por Marcos Mion, a mando da direção. "A gente espera que os próximos fazendeiros avaliem a importância desse cargo, porque ficou claro, que a Carol foi o oposto do que eu falei. Ela não se preocupou com as regras, incentivou punições", afirmou, na época. Qual o problema, afinal? As punições não só incentivam tensões como motivam brigas. O recado pareceu jogar contra o próprio sucesso do jogo. Pouco depois, na roça, foi a vez de Jojo Todynho, umas das protagonistas da edição, ouvir recado sobre "melhorar" e "evoluir". "A intensidade com a qual você se defende e defende os seus princípios, às vezes, pode machucar", disse Mion. Qual o interesse de acalmar uma participante que estava rendendo grandes momentos? Desde então, Jojo ficou quieta e, por vezes, prostrada no sofá. Grandes momentos foram abreviados. Até mesmo os jogos da discórdia demoraram a acontecer e já não surtem o mesmo efeito.

prova - Transmissão/Record TV - Transmissão/Record TV
Tays, Lipe e Jake tiveram de refazer a "Prova do Fazendeiro"
Imagem: Transmissão/Record TV

Erros de apuração - Por mais boa vontade que se tenha, os dois erros seguidos em provas de "A Fazenda" pegaram muito mal e levantaram questões sobre o preparo da equipe nos bastidores. Ninguém questiona o capricho com que as provas são pensadas, mas não calcular o resultado da prova do fazendeiro e ter de refazê-la pegou mal. Parece que alguém esqueceu que tinha de fazer a somatória e não se preparou para tal função. Da mesma maneira, pegou mal o fato de a direção não agir com rapidez quando Biel infringiu as regras da prova de fogo - e ainda ter feito Mion avisar que não aconteceu "nada demais" ao vivo. Isso sem contar que em provas como a que Juliano virou fazendeiro, ele infringiu regra já de cara, na primeira rodada, pegando a bola do chão e não do cesto, e nada foi dito. A gente até entende que as votações não somem necessariamente 100% no que diz respeito a terceira casa decimal, mas, no que diz respeito às regras, precisa haver maior rigor.

som - Reprodução / Internet - Reprodução / Internet
Juliano Ceglia e Victória Villarim escutam carro de som em "A Fazenda"
Imagem: Reprodução / Internet

Carro de som - Se há um prego no caixão dos barracos de "A Fazenda", este foi colocado por fãs de Mirella e Stéfani. Iludidos por um casal que não parece ter chances de acontecer, eles mandaram um carro de som para pedir que a funkeira se afastasse de Biel e sua turma. Sem grandes explicações necessárias, a cantora, que vinha agindo como uma criança mimada, mudou de atitude e fez as pazes até mesmo com sua maior rival, Raíssa. Esta não foi a primeira vez que carros de som foram enviados à sede do programa. Nem por isso a tradição deveria ser mantida. Pelo contrário: a direção deveria agir com celeridade e criar mecanismos que impeçam que isso se repita. Colocar música alta na sede ou reforçar a segurança seria recomendado. Quando participantes veem que o jogo está mexendo tanto com as pessoas a ponto de enviarem recados, eles claramente se retraem. Os efeitos do tal carro de som foram devastadores e infringiram uma regra de ouro dos realities de confinamento: zero contato com o mundo exterior.