PUBLICIDADE
Topo

Chico Barney

A Fazenda: Brasil perde importante pilar cultural com saída de Raissa

A Fazenda 2020: Raissa em noite de eliminação - Reprodução/Playplus
A Fazenda 2020: Raissa em noite de eliminação Imagem: Reprodução/Playplus
Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Colunista do UOL

27/11/2020 01h36

Não foi uma noite agradável em A Fazenda 12. Além dos problemas tradicionais de uma quinta-feira comum, com o quadro daquele rapaz que fala rimando e as paródias sofisticadíssimas do Carioca, ainda tivemos que aguentar a eliminação de Raissa Barbosa.

Foi embora um dos últimos bastiões do entretenimento brasileiro em 2020. Uma fonte inesgotável de alegria e a diversão. Mas sem arrependimentos, viveu de maneira intensa o reality show —o que garantiu meses de satisfação para as massas.

Como não sorrir ao lembrar das vezes em que a ex-vice Miss Bumbum lidou mal com a rejeição? Enquanto as outras subcelebridades feridas tentam fingir costume, Barbosa não se fez de rogada. Chorou, esperneou, socou o colchão, quebrou portas, sujou rostos com creme e arrebatou corações.

E ainda houve tempo para levantar debates a respeito de saúde mental e necessidade de regras mais rígidas quanto a conservação da estrutura da sede do programa. Não é exagero classificá-la como importante pilar cultural desses tempos tão bicudos.

Toda essa energia caótica alternava com momentos de doçura e precisão matemática. Entendeu como nenhum outro confinado qual é o jogo do cantor Gabriel e sua trupe. Antes de partir rumo a novos projetos, deixou um bom recadinho a respeito das mudanças de atitude da Jojo Todynho. Que fenômeno!

Demasiadamente humana, Raissa sai de Itapecerica da Serra para adentrar o panteão do showbiz nacional. Que tenha uma carreira longa e próspera como personalidade da mídia.

Bomba! Aline Ramos, Fefito Oliveira e eu discutimos a eliminação de Raissa da Fazendola:

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL