PUBLICIDADE
Topo

Checkpoint Charlie, ícone de Berlim, vai passar por ampla reforma

Checkpoint Charlie -  AFP
Checkpoint Charlie Imagem: AFP

Michaela Cavanagh

10/12/2019 09h35

O icônico Checkpoint Charlie em Berlim vai passar por uma drástica transformação depois de o governo da cidade ter chegado a um consenso, na terça (03), sobre o avanço de um controverso plano de revitalização urbana nessa área central da cidade.

O Checkpoint Charlie era um dos vários postos de controle entre o setor americano e soviético da cidade, quando Berlim esteve dividida durante a Guerra Fria. O local servia especificamente para a passagem de estrangeiros e tropas aliadas. Após a Reunificação alemã, em 1990, a região foi revitalizada e se tornou um dos destinos turísticos mais frequentados da capital.

Em novembro, autoridades locais anunciaram a proibição das atividades de atores que se vestem como militares americanos para posar em fotografias ao lado de turistas no antigo posto de fronteira.

Novos projetos, elaborados junto aos moradores de Berlim, pretendem transformar o caos que se tornou o Checkpoint Charlie numa praça pública com um museu da Guerra Fria e um quarteirão residencial com cerca de 300 apartamentos, alguns destinados a habitação social.

"Com o envolvimento dos cidadãos, foram estabelecidas diretrizes para um desenvolvimento orientado para o futuro deste lugar especial", disse a secretária de Desenvolvimento Urbano de Berlim, Katrin Lompscher, em comunicado divulgado na terça-feira.

A remodelação da área de 1,3 hectare tem sido objeto de controvérsia. No ano passado, a cidade de Berlim rejeitou os planos de um empreendedor particular para construir escritórios e abrir um hotel da rede Hard Rock perto do local.

Desde então, no entanto, os planos de Lompscher, política do partido A Esquerda, foram frequentemente criticados.

A atual coalizão que governa a cidade se encontra dividida quanto à possibilidade de permitir a construção de dois arranha-céus no local e, embora esses edifícios não façam parte do atual projeto, há a possibilidade de que possam ser planejados com mais de 30 metros de altura posteriormente.

Esse debate reflete uma discussão mais ampla na Alemanha sobre a verticalização ou não dos centros urbanos para acomodar uma população que vem crescendo em dezenas de milhares de pessoas nos últimos anos.

Apesar de um desacordo de longa data dentro do governo da cidade, o Executivo local aprovou o projeto por receio de dar carta-branca ao setor privado quando um congelamento temporário do desenvolvimento na área do Checkpoint Charlie expirar no início do próximo ano.

Espera-se que o Legislativo de Berlim vote o projeto antes de fevereiro. Não está claro, porém, quando os trabalhos de construção terão início no local.