PUBLICIDADE
Topo

Azeites brasileiros ganham medalhas de ouro e prata em concurso no Japão

Prosperato Koroneiki, do RS: medalha de ouro no Japão - Reprodução
Prosperato Koroneiki, do RS: medalha de ouro no Japão Imagem: Reprodução

De Nossa

27/05/2022 10h10

Aos poucos, o Brasil vem conquistando o seu espaço na cena internacional de azeite, tradicionalmente dominada por produtores do Mediterrâneo. No último mês, o azeite Sabiá, do interior de São Paulo, foi considerado um dos dez melhores inscritos no prêmio espanhol Evooleum e o gaúcho Milonga, o melhor do Hemisfério Sul no italiano EVO IOOC.

Dessa vez, três marcas nacionais garantiram três medalhas de ouro e três de prata na competição japonesa Olive Japan. No total, o concurso organizado pela The Olive Oil Sommelier Association of Japan (OSAJ) avaliou 816 rótulos.

Com olivais em Barra do Ribeiro e Caçapava do Sul (RS), a Prosperato levou duas medalhas de ouro. Uma pelo monovarietal da azeitona grega Koroneiki e outra pelo blend que une as variedades espanholas Arbequina e Arbosana. No site da marca, cada exemplar custa R$ 40 (250 mililitros).

Azeite Verde Louro: medalhas de ouro e prata - Reprodução - Reprodução
Azeite Verde Louro: medalhas de ouro e prata
Imagem: Reprodução

O reconhecimento foi o mesmo para o azeite de Koroneiki da Verde Louro, marca que também recebeu medalha de prata pelo Arbequina. Produzidos em Cangaçu (RS), as garrafas premiadas saem respectivamente por R$ 44,90 (250 mililitros) e R$ 24,90 (200 mililitros), na loja virtual.

A Orfeu, conhecida pelos cafés especiais, viu seu recente investimento nos azeites dar frutos. Ganharam medalha de prata o monovarietal Coratina (R$ 189, 300 mililitros) e o blend da safra 2022 (Coratina, Grappolo e Picual; R$ 219, 350 mililitros).

Como funciona o prêmio

Azeites da Orfeu, conhecida pelos cafés - Reprodução - Reprodução
Azeites da Orfeu, conhecida pelos cafés
Imagem: Reprodução

Assim como outras competições de azeite, a Olive Japan considera no seu ranking apenas as amostras enviadas pelos produtores. Neste ano, eles aceitaram receber azeites produzidos na safra 2021/2022.

Para estar sujeito à avaliação, que pode ou não render prêmios especiais e medalhas, os produtores individuais, as associações de produtores ou os distribuidores autorizados precisam realizar uma inscrição online e pagar a taxa de US$ 260 por cada rótulo.

A medalha de prata é atribuída para azeites com pontuação de 65 a 75. A de ouro, de 76 a 85. E exemplares com nota acima de 86 são considerados Premier.