PUBLICIDADE
Topo

Copo Stanley: da quase extinção à fama, como ele virou um sucesso?

Copo Stanley: de suspensão da produção a hit do verão em menos de dois anos - Reprodução Instagram
Copo Stanley: de suspensão da produção a hit do verão em menos de dois anos Imagem: Reprodução Instagram

Felipe van Deursen

Colaboração para Nossa

26/01/2022 12h58

Hit do verão e motivo de ostentação (de um lado) e deboche (de outro) nas redes sociais, os copos da marca Stanley, que preservam a temperatura por algumas horas, estão onipresentes nas praias, churrascos entre amigos e até fazendo figuração de luxo em fotos no home office.

Mas de onde vem essa fama recente?

A Stanley é uma marca americana centenária especializada em copos e outros produtos térmicos. Até dois anos atrás, apesar de tradicional, era pouco conhecida no país.

Em 2019, chegou a suspender temporariamente a produção do copo. Mas entre seus então escassos fãs havia influenciadoras de Instagram que conseguiram convencê-la a reaver a fabricação e a se posicionar mais estrategicamente no mercado e, especialmente, na internet.

Copo Stanley, amado e odiado, ganhou as redes - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Copo Stanley, amado e odiado, ganhou as redes
Imagem: Reprodução/Instagram

Poucos anos antes, a marca, que pertence ao conglomerado PMI Worldwide, chegara ao Brasil pelo Sul, por meio de garrafas térmicas, essenciais no consumo de chimarrão. Tudo sem alarde.

Em meados de 2021, a Stanley explodiu nos EUA. As canecas esgotaram rapidamente, assim como um outro lançamento da empresa, copos em tons pastéis, produto com alta probabilidade de virar post no Instagram.

"Há alguns copos parecidos e um pouco menores no mercado, mas eles não são tão bonitos", disse ao site americano Buzzfeed News Ashley LeSueur, uma das criadoras do guia de compras The Buy Guide, perfil que diz ter "ressuscitado um produto morto". À medida que outros influenciadores passaram a divulgar a Stanley, ela virou moda.

Copo Stanley promete manter a cerveja bem gelada por horas - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Copo Stanley promete manter a cerveja bem gelada por horas
Imagem: Reprodução/Instagram

No Brasil, o movimento veio pouco depois, mas não tanto pela linha "camping", mas sim pela "bar". Até meados de 2020, as buscas pela marca no Google no país eram praticamente inexistentes. Começaram a subir e subir até disparar em dezembro do ano passado. O faturamento da PMI na América Latina cresceu 700% desde 2018.

Aí, o copo já tinha virado objeto de desejo e de discussão. Foi presente de Natal e é um meme constante. Afinal de contas, o copo mais barato à venda no site oficial custa R$ 149. Com esse valor é possível comprar uma caixa térmica simples de 20 litros, um saco de gelo e 12 latas de cerveja vendida como premium no supermercado. Se pegar uma promoção ainda sobra para o amendoim.

Meme Stanley - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Preço caro, alta popularidade e demanda nas alturas são a combinação redondinha para a pirataria se alastrar. A Stanley já sentiu isso e informa, alarmada, em seu site oficial: "E aí, legião, tudo bem? Chegou ao nosso conhecimento a existência de inúmeros produtos falsificados no mercado e sites enganosos se utilizando da marca Stanley com o objetivo de aplicar golpes em nossos consumidores." A marca lista algumas dicas para quem realmente quer evitar comprar copos piratas.