PUBLICIDADE
Topo

Ilhas Maurício reabrem suas praias para turistas brasileiros vacinados

Para não cumprir a quarentena obrigatória de 14 dias nas Ilhas Maurício, é necessário estar totalmente vacinado com qualquer um dos imunizantes reconhecidos e aplicados no Brasil - Divulgação/Ile des Deux Cocos
Para não cumprir a quarentena obrigatória de 14 dias nas Ilhas Maurício, é necessário estar totalmente vacinado com qualquer um dos imunizantes reconhecidos e aplicados no Brasil Imagem: Divulgação/Ile des Deux Cocos

De Nossa

13/09/2021 13h10

As Ilhas Maurício, arquipélago paradisíaco no Oceano Índico, próximo à costa leste africana, reabriu suas fronteiras para turistas do mundo todo, inclusive os brasileiros.

Para não cumprir a quarentena obrigatória de 14 dias, é necessário estar totalmente vacinado com qualquer um dos imunizantes reconhecidos e aplicados no Brasil: Janssen, AstraZeneca, Pfizer ou CoronaVac. A última dose deve ter sido aplicada também há, pelo menos, 14 dias.

Durante todo o mês de setembro, em que acontecerá a primeira fase da reabertura, viajantes devem apresentar ao chegar um teste do tipo PCR negativo para a covid-19 feito de três a sete dias antes do último local de embarque.

Além disso, é necessário um comprovante de vacinação impresso e reserva em hotéis considerados "seguros para a covid-19" pelo governo das ilhas — a lista dos estabelecimentos está disponível no site da autoridade de turismo local, incluindo aqueles que recebem visitantes não vacinados para a realização de quarentena.

Por fim, é preciso entregar preenchidos os dois formulários de declaração de saúde do passageiro exigidos pelo governo. No aeroporto, o turista será obrigado a realizar ainda um novo PCR e se deslocar direto para o hotel. Não é permitido sair do quarto até que o resultado negativo do exame chegue por SMS em um prazo de até 6 a 12 horas. Refeições serão oferecidas em serviço de quarto, apenas.

Ao receber o resultado, o hóspede poderá ir à praia e circular pelo hotel. No sétimo dia, é necessário repetir o PCR. Caso seja negativo, o visitante será liberado para trocar de hotel, se desejar, e explorar as ilhas.

A partir do início de outubro, as regras serão flexibilizadas e o turista totalmente imunizado deverá apresentar apenas o PCR feito até 72 horas antes do último ponto de embarque ao chegar, além de seu comprovante de vacinação e outros documentos exigidos, para circular livremente pelas ilhas. Os visitantes não vacinados, no entanto, deverão continuar cumprindo quarentena de 14 dias e serão submetidos a exames no 7º e 14º dias.

Atualmente, as Ilhas Maurício têm 66,5% de sua população vacinada com a primeira dose e 61,5% completamente vacinada com as duas doses ou dose única de imunizante.