PUBLICIDADE
Topo

Maldivas fora dos estereótipos: dá pra ir sozinho e até mais barato

Os ricos e famosos amam, mas será que dá para ir para as Maldivas com menos grana e sozinho? - Getty Images/iStockphoto
Os ricos e famosos amam, mas será que dá para ir para as Maldivas com menos grana e sozinho?
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Priscila Carvalho

Colaboração para Nossa

20/05/2021 04h00

Destino "bombado" entre os famosos, as Maldivas já viraram sonho de consumo de muitas pessoas. Embora seja visto como um lugar apenas para casais e milionários, é possível visitar como viajante solo, gastando pouco e fugindo da badalação.

Nossa derruba esses e outros mitos, mostra que é possível realizar uma viagem diferente das postadas por celebridades no Instagram e como o país pode ser mais acessível em uma próxima viagem pós-pandemia.

Sim, existem voos mais "em conta"

Como não existe um voo direto saindo do Brasil, chegar até lá é mais difícil e encarece o deslocamento. Por isso, para baratear ainda mais a viagem, o ideal é ir para a Europa, Ásia ou África e de lá pegar outro avião para a capital Malé.

Aeroporto de Velana, nas Maldivas - NurPhoto via Getty Images - NurPhoto via Getty Images
Aeroporto de Velana, nas Maldivas
Imagem: NurPhoto via Getty Images

Geralmente, voos que saem daqui podem custar R$ 7.000 ou até mais dependendo da classe que a pessoa escolhe. Por isso, o recomendado é comprar uma passagem para locais que permitam o trajeto até as Maldivas.

Para se ter uma ideia, um bilhete aéreo para a Europa pode sair por até R$ 3.000 e, ao chegar lá, é possível encontrar voos para as ilhas por até R$ 2.500. Ou seja: uma economia de mais de R$ 1.500. Um exemplo é ir até Frankfurt, na Alemanha, e de lá pegar um voo para o Aeroporto Internacional de Velana, nas Maldivas. Também é possível ir direto da Suíça ou da Turquia. Geralmente, as companhias aéreas que fazem o trajeto são Emirates, Condor, Turkish Airlines e Lufthansa.

Outra possibilidade é ir até a Ásia e comprar um voo das famosas companhias "low cost", que não oferecem muito conforto, mas permitem que o viajante chegue até o país de maneira bem mais econômica. As mais famosas que fazem o trajeto são: Air Asia (saindo da Malásia), Silk Air (com sede em Singapura, mas com com voos que partem de outras cidades da Ásia), Scoot (Singapura) e Jet Airways (Índia). É possível achar voos a partir de R$ 500.

Avião em ilha das Maldivas - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Agora, se quiser pagar um pouco acima desse valor e ir com mais conforto, também dá para comprar voos pela companhia aérea Qatar Airways.

País não é só para casal

Diferentemente do que algumas pessoas acham, as Maldivas também podem ser uma viagem para mulheres sozinhas ou até para um grupo de amigos.

Nas ilhas locais, é possível encontrar estrutura para todos os tipos de viajantes, inclusive famílias e pessoas que viajam com crianças, por exemplo.

Stand up Paddle em família nas Maldivas - Getty Images - Getty Images
Stand up paddle em família nas Maldivas
Imagem: Getty Images

Embora não seja o mais comum, há alguns hotéis e resorts onde é possível encontrar espaço kids ou uma estrutura mais completa para quem está com criança ou bebês. Algumas dessas opções são Kurumba Maldives, Anantara Dhigu, Soneva Fushi e KIHAA Maldives Island Resort & Spa.

Hospedagem pode ser barata

É muito comum associar a estadia nas ilhas sempre a um resort, mas dá para ficar em locais bem menos pesados para o bolso, como hotéis de quatro ou cinco estrelas. Mas para isso é preciso escolher as ilhas locais, e as mais famosas são: Maafushi, Fulidhoo e Thulusdho. Existem também as menos conhecidas e que ficam no sul do país: Dhigurah e Dhangethi.

A blogueira Luisa Galiza dá dicas de Maldivas - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
A blogueira Luisa Galiza dá dicas de Maldivas
Imagem: Arquivo pessoal
e conta em quais locais as ilhas ficam mais em conta - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
e conta em quais locais ficam mais em conta
Imagem: Arquivo pessoal

Luisa Galiza, 35 anos, que visitou o país em 2018, pôde vivenciar uma experiência bem mais econômica, se hospedando em um hotel comum e confortável em Dhangethi. "Uma estadia sem refeições e por cinco dias ficava entre R$ 1.700 e R$ 2.000. Bem em conta se você for pensar em Maldivas", diz.

Pelo site de hospedagem Booking, por exemplo, é possível pagar R$ 1.400 em um hotel quatro estrelas, por quatro diárias e para duas pessoas, nas ilhas Maafushi.

Dá para ficar em resort por menos dinheiro

Se hospedar em bangalôs de luxo é a realidade de muitos famosos e milionários que visitam o país. Mas é possível curtir esses mesmos locais pagando bem menos do que eles.

Geralmente, alguns desses resorts oferecem a opção day use, no qual a pessoa passa o dia inteiro usando as comodidades do espaço de luxo, incluindo bebida alcoólica.

Com day use, é possível aproveitar as belezas das ilhas Maldivas por menos - Getty Images - Getty Images
Com day use, é possível aproveitar as belezas das ilhas Maldivas por menos
Imagem: Getty Images

Alguns dos locais que oferecem esse tipo de serviço são: Centara Ras Fushi, Olhuveli Beach and Spa Maldives, Thulhagiri Island Resort, Olhuveli, Holiday Inn e Rannalhi Maldivas. Neste último, por exemplo, os preços começam em US$ 105 no pacote bronze, com "welcome drink", toalha de praia, buffet de almoço, lanches e wifi grátis. Os valores encarecem nos pacotes mais completos chamados prata e ouro.

Em média, para passar o dia em um desses resorts de luxo, os valores variam entre US$ 60 e US$ 199, o que na conversão de hoje representa R$ 315 e R$ 1046, respectivamente.

Vá além da área de resorts

Além dos hotéis mais baratos e com menos luxo do que os resorts, nas ilhas menores é possível explorar e conhecer um país diferente. Em alguns bairros, você encontra restaurantes com preços acessíveis, podendo pagar até US$ 10 na refeição (cerca de R$ 56).

Também há hospedagens nas guests houses, que são casas adaptadas e transformadas por preços mais baratos e que oferecem comodidades como café da manhã e wifi.

Ilhas locais, como Dhigurah, são mais baratas e distantes da badalação dos famosos nas Maldivas - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Ilhas locais, como Dhigurah, são mais baratas e distantes da badalação dos famosos nas Maldivas
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Andar pelas ilhas nativas também pode ser uma experiência diferente e não vivenciada por todos. Por ser um país muçulmano, as Maldivas têm restrições em algumas praias, onde não é permitido usar biquínis ou roupas de banho muito escandalosas. Isso também vale para o consumo de bebidas alcoólicas.

Por isso é preciso ler bem as placas que indicam esse tipo de restrição. "Em algumas partes das ilhas, a mulher é obrigada a andar com os ombros cobertos", conta Luisa.