PUBLICIDADE
Topo

Bichos

Tudo o que você precisa saber para cuidar do seu pet

Parque de diversão para cães faz alegria de bichos e tutores em São Paulo

Romeu e Patolino José aproveitam a enorme piscina do Cachorródromo, em São Paulo - Juliana Finardi/UOL
Romeu e Patolino José aproveitam a enorme piscina do Cachorródromo, em São Paulo Imagem: Juliana Finardi/UOL

Juliana Finardi

Colaboração para Nossa

02/03/2021 04h00

Romeu é um buldogue de 6 anos que, do alto de seus 33 quilos e 63 cm de "altura", adora fazer uma atividade que outros da sua raça não são muito fãs: nadar.

Pelo menos duas vezes por semana, esse doguinho fofo pega o pato de borracha de estimação, Patolino José, os tutores Paula e Vinicius, e segue feliz para o seu lugar preferido na vida, a piscina do Cachorródromo, na zona norte de São Paulo.

O parque de diversões para cachorros conta com a maior piscina indoor para pets do mundo, com 120 m² e diferentes níveis de profundidade. Além disso, o espaço de 2,5 mil m² também oferece um parcão de 40 m² de gramado e playground.

"O fato de frequentar um local que ele gosta e fazer o que ele ama o deixou muito menos ansioso. Além disso, a maioria dos buldogues têm problema de displasia de quadril e o fortalecimento na piscina é muito importante", disse a médica Paula Stelmach Valerim, 36 anos, a tutora do Romeu.

Paula e Romeu, no pós-piscina do Cachorródromo - Juliana Finardi/UOL - Juliana Finardi/UOL
Paula e Romeu, no pós-piscina do Cachorródromo
Imagem: Juliana Finardi/UOL

"Relax" da golden nadadora

Pandora, uma golden retriever de 10 meses, não nega a natureza da raça: caçadora de aves aquáticas. Ela frequenta a piscina do Cachorródromo uma vez por semana desde que era uma baby golden de 4 meses.

Pandora - Juliana Finardi/UOL - Juliana Finardi/UOL
Pandora
Imagem: Juliana Finardi/UOL

"Gosto por ser um ambiente seguro para que ela possa interagir com outros cães tranquilamente já que os monitores já estão preparados para que não haja nenhuma briga", disse estudante de Medicina Aline Nakayama, 23 anos, tutora de Pandora.

Aline também acredita que a atividade possibilita que sua cachorra mantenha-se equilibrada. "Porque ela gasta energia física e mental quando socializa com outros cachorros e, devido a isso, não causa nenhum problema comportamental de destruição em casa nem de atacar as pessoas", afirmou.

Parque de diversão

Karen e a dog-inspiração Arabela - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Karen e a dog-inspiração Bella
Imagem: Arquivo pessoal

A ideia do Cachorródromo, de acordo com a idealizadora Karen Fujiwara, 32 anos, começou quando ela ainda morava nos Estados Unidos e por acaso um vídeo de sua cachorrinha samoieda Bella viralizou no Facebook.

Desde então, os inúmeros cursos de especialização na área de treinamento para cães de serviço se intercalaram com a migração da carreira de engenheira química para a área de bem-estar animal até que o rascunho do Cachorródromo começou a ser elaborado em meados de 2017.

Foram dois anos até dezembro de 2019 quando Karen e sua mãe, Mirian Fujiwara, que é sócia no negócio, encontraram o terreno na Vila Guilherme, onde hoje está localizado o Cachorródromo.

Além da piscina e playground, o espaço também tem serviços de creche e day care, petshop, banho e tosa, sorveteria, lojinhas de petiscos, acessórios para pets, e entretenimento para os tutores com praça de alimentação, cafeteria, choperia e salas de eventos para lançamentos e aniversários do universo pet, temporariamente desativadas por conta da pandemia. Aos finais de semana, são organizados encontros de raças pelos próprios tutores.

Bagunça, só dos pets

A consciência para o bem-estar animal, aliás, é levada a sério desde a entrada. Só podem frequentar o Cachorródromo os cãezinhos comprovadamente vacinados e todos, sem exceção, devem respeitar as regras do local: focinheiras para as raças obrigadas por lei, tutores limpam cocô e xixi de seus pets, crianças não podem utilizar os brinquedos destinados aos animais e o local é exclusivo para cachorros embora já tenham entrado, pasmem, escondidos, um gato, um porquinho da índia e uma cobra.

Na entrada, além de mostrar a carteirinha de vacinação do pet e fazer um cadastro, o tutor paga R$ 20 e mais R$ 30 caso queira utilizar a piscina por uma hora.

A maior piscina indoor para pet do mundo - Divulgação - Divulgação
A maior piscina indoor para pet do mundo
Imagem: Divulgação

No valor da piscina, está incluída a secagem do animal, que o próprio tutor realiza com os secadores disponíveis no local. Atentos a toda movimentação, os monitores impedem que haja qualquer briga entre os cães.

O local segue todas as recomendações e orientações das autoridades municipais e estaduais referentes às medidas de prevenção à covid-19.

É obrigatório o uso de máscaras no local, há disponibilização de álcool gel e agendamento dos serviços como banho e tosa para que não haja aglomerações.

O Cachorródromo fica na Rua Francisco Duarte, 33, Vila Guilherme. Nas redes sociais, está no Instagram @cachorrodromo e no Facebook cachorrodromobr. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira das 11h às 21h; sábado das 10h às 20h e domingo das 10h às 18h.