PUBLICIDADE
Topo

Noronha passa a exigir teste de covid-19 antes de turista entrar na ilha

Praia do Sancho, em Fernando de Noronha: novas regras na ilha - Getty Images/iStockphoto
Praia do Sancho, em Fernando de Noronha: novas regras na ilha Imagem: Getty Images/iStockphoto

Diogo Cavalcante

Colaboração para o UOL, no Recife

17/12/2020 16h39

O Governo de Pernambuco mudou as regras de acesso de turistas para Fernando de Noronha. A partir da próxima segunda (21), a pessoa deverá apresentar um exame negativo do tipo RT-PCR para covid-19 antes de embarcar, ainda no aeroporto.

O teste deve ser feito com 48 horas de antecedência. A intenção é tentar evitar que casos da doença cheguem ao arquipélago, especialmente com o início da nova etapa de flexibilização do turismo na localidade.

Chegada de turistas: necessidade de teste para covid no momento do embarque - Georgia Kyrillos/Administração de Fernando de Noronha - Georgia Kyrillos/Administração de Fernando de Noronha
Chegada de turistas: necessidade de teste para covid no momento do embarque
Imagem: Georgia Kyrillos/Administração de Fernando de Noronha

"Percebemos que estava tendo muito caso de gente que chegava à ilha sem o resultado do teste e, quando era liberado, dava positivo. Isso é considerado como caso importado. Por conta disso, fizemos reuniões tanto com a equipe técnica da Apevisa (Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária) quanto com o nosso Comitê Científico, que acompanha as ações de combate à pandemia, para adotarmos um novo protocolo", contou o administrador de Noronha, Guilherme Rocha, em conversa a Nossa.

As alterações foram publicadas em portaria no Diário Oficial de Pernambuco dessa quarta (16). Além de mostrar o exame no embarque, no aeroporto do Recife — voos para Noronha só saem da capital pernambucana —, também deve ser apresentada uma cópia do teste ao desembarcar no arquipélago.

Retorno testado por amostragem

Outra mudança é a testagem dos turistas que deixam a ilha. Atualmente, todas as pessoas fazem exames ao saírem de Noronha. Mas, a partir do dia 21, isso será feito por amostra. Serão selecionados, através do sistema de Controle Migratório, 30% dos passageiros de cada voo para realizarem testes.

"Como a demanda de turistas vai aumentar muito agora, não vamos mais testar 100%, e sim 30%, de forma randômica, para que a gente possa, por amostragem, ir tendo uma ideia de quem está positivo", acrescentou Guilherme.

Noronha - Diego Grandi/Getty Images - Diego Grandi/Getty Images
Em Noronha, teste obrigatório antes de chegar e por amostragem na hora de ir embora
Imagem: Diego Grandi/Getty Images

O prazo de cinco dias, até 21 de dezembro, foi concedido para que as empresas aéreas que operam na ilha — Azul e Gol — consigam realizar a devida capacitação de seus funcionários sobre o assunto.

Outras regras estabelecidas seguem vigentes, como a assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e a administração de Noronha; utilização do aplicativo Dycovid, do Governo de Pernambuco; e uso obrigatório de máscara e álcool em gel — o descumprimento pode acarretar em multa de R$ 500,00, além de outras sanções.

Em outubro deste ano, primeiro mês de reabertura, o arquipélago recebeu 3.261 turistas — 69% a menos que em outubro de 2019 (10.600).

Total de casos

De março até o dia 16, Fernando de Noronha acumula um total de 297 casos da covid-19, sendo que 228 deles são de nativos do próprio arquipélago e 69 são considerados importados. Enquanto 273 pessoas já estão curadas, outras 24 estão em recuperação (os chamados casos ativos). Nenhuma morte foi registrada.