PUBLICIDADE
Topo

Visitamos o melhor spa do mundo aos pés dos Himalaias, na Índia

Luxo com vista para os Himalaias é o grande chamariz do melhor spa do mundo, segundo o "Oscar do turismo" - Reprodução/Ananda in the Himalaias
Luxo com vista para os Himalaias é o grande chamariz do melhor spa do mundo, segundo o "Oscar do turismo" Imagem: Reprodução/Ananda in the Himalaias

Mari Campos

Colaboração para Nossa

24/10/2020 04h00

Montanhas a perder de vista, o rio sagrado Ganges serpenteando lá embaixo, um grupo de uma quinze pessoas em silêncio, trajando o mesmo conjunto de calça e túnica branca de algodão em direção a um dos pontos mais altos da propriedade no sopé dos Himalaias: era hora de despertar o corpo com uma sessão de ioga matinal.

Assim começam todos os dias da semana no Ananda in the Himalayas, premiado pelo Reader's Choice Awards da revista americana Condé Nast Traveller como o melhor spa do mundo.

A premiação não é novidade para o spa indiano que completa 20 anos em 2020 e acumula diferentes prêmios do gênero. Fundado em por Ashok Khanna, veterano do grupo hoteleiro Oberoi, o Ananda é realmente diferente de qualquer outra propriedade do gênero.

Palácio do marajá Tehri Garhwal, do século 19, onde foi construído o famoso spa - Divulgação/Ananda in the Himalayas - Divulgação/Ananda in the Himalayas
Palácio do marajá Tehri Garhwal, do século 19, onde foi construído o famoso spa
Imagem: Divulgação/Ananda in the Himalayas

Para começo de conversa, se engana quem pensa que ali os hóspedes estão focados em emagrecer e contar calorias. Baseado nos princípios da medicina ayurvédica, o Ananda in the Himalaias foca basicamente no equilíbrio de cada indivíduo, como um detox da vida moderna - e comendo muito bem.

Dieta, mas nem tanto

O primeiro compromisso de todo hóspede que chega ao hotel, independente do propósito de sua visita, é uma consulta com um médico ayurvédico que, através de uma longa conversa, determina o dosha dominante daquele indivíduo.

A repórter Mari Campos em sua sessão matinal de ioga no spa Ananda in the Himalayas - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
A repórter Mari Campos em sua sessão matinal de ioga no spa Ananda in the Himalayas
Imagem: Arquivo pessoal

Segundo a medicina ayurvédica, temos três doshas - Vata (ar e espaço), Pitta (fogo e água) e Kapha (terra e água) -, baseados nos elementos primordiais. No meu caso, ele identificou o dosha Kapha como dominante e criou uma dieta em princípio sem café, álcool, açúcares e laticínios, acompanhada de uma agenda de atividades físicas e tratamentos no spa. Para cada refeição de cada um dos dias que fiquei ali, o chef preparou um menu diferente e bastante completo, com pratos muito saborosos e bem apresentados.

Tentei seguir à risca o programa, mas confesso que bati o pé para tomar minha dose diária de cafeína, ovos e carboidrato. E os garçons, bastante insistentes em nos influenciar a seguir a dieta, sempre cedem aos desejos dos hóspedes - tanto que garrafas de refrigerante e taças de vinho eram frequentes em diversas mesas.

Um dos pratos oferecidos no spa, com dietas personalizadas - Divulgação - Divulgação
Um dos pratos oferecidos no spa, com dietas personalizadas
Imagem: Divulgação

Além do menu criado diariamente para cada dosha, o restaurante do Ananda também possui uma carta fixa muito interessante, que mescla pratos indianos e culinária internacional.

A "limpeza" também passa pelo visual, já que o "uniforme" - um conjunto branco dado aos hóspedes todos os dias - não é compulsório, justamente para que as pessoas se desliguem da necessidade de pensar em se arrumar, o que vestir etc. Maquiagem também se vê bem raramente por ali. Eu achei tão prático que aderi feliz à ideia.

Alma lavada

Reaberto em agosto passado com novos protocolos para enfrentar a pandemia, o Ananda oferece diferentes possibilidades de hospedagem. Para quem opta pelos programas especiais, as diárias funcionam em sistema de pensão completa e atividades incluídas - inclusive um esperado tratamento diário no spa, com 24 salas de tratamento, saunas, circuito hidroterápico e uma antiga academia.

Há aulas de ioga em grupo incluídas nas diárias todos os dias e há possibilidade de aulas individuais. O spa promove também disputadas palestras Vedanta duas vezes ao dia, sessões de meditação, caminhadas e pequenas trilhas guiadas.

Fiz uso intenso dos incríveis jardins da propriedade com vista panorâmica para as montanhas e vales e aproveitando o ar incrivelmente puro - esse sim um verdadeiro luxo na Índia. São poucos os "compromissos" diários de cada hóspede e nenhuma restrição a movimento e ruídos; mas, ainda assim, foi o hotel mais silencioso no qual já me hospedei.

Turistas, monges e moradores em ritual sagrado às margens do Ganges - Divulgação/Ananda in the Himalayas - Divulgação/Ananda in the Himalayas
Turistas, monges e moradores em ritual sagrado às margens do Ganges
Imagem: Divulgação/Ananda in the Himalayas

Também fui levada ao centro de Rishikesh em um final de tarde para participar da cerimônia do Aarti, que acontece todos os dias ao por-do-sol, às margens do Ganges. Monges, moradores e turistas do mundo inteiro se reúnem na escadaria de mármore, cantam, tocam instrumentos e rezam, tendo o fogo por oferenda. Ao final da cerimônia, lampiões passam de mão em mão e oferendas e velas flutuantes são depositadas nas águas do rio sagrado.

Vida de marajá - literalmente

Um dos quartos luxuosos do Ananda in the Himalayas - Divulgação/Ananda in the Himalayas - Divulgação/Ananda in the Himalayas
Um dos quartos luxuosos do Ananda in the Himalayas
Imagem: Divulgação/Ananda in the Himalayas

A propriedade ocupa um terreno de nada menos que 100 acres que ocupam os jardins do palácio do marajá Tehri Garhwal, do século 19. É no palácio que hoje funcionam recepção do hotel, biblioteca, sala de jogos, além da única suíte especial do hotel, que ocupa antigos cômodos da família original.

Ao todo são 70 acomodações em estilo quarto e três villas completas (as preferidas das celebridades como Oprah Winfrey). Além, é claro, de restaurante, pavilhão de ioga, piscina, um imenso spa, boutique, jardins impecáveis e campo de golfe. Pavões e águias são vistos com frequência por ali.

Lounge do Ananda in the Himalayas - Divulgação/Ananda in the Himalayas - Divulgação/Ananda in the Himalayas
Lounge do Ananda in the Himalayas
Imagem: Divulgação/Ananda in the Himalayas

Berço da ioga, refúgio dos famosos

O Ananda fica localizado a cerca de meia hora do centro da cidade de Rishikesh, no sopé dos Himalaias, a uma hora de voo desde Delhi.

A cidade ficou internacionalmente famosa no ocidente quando os Beatles, no final da década de 60, se instalaram ali em um ashram do líder do movimento de meditação transcendental e terminaram compondo as músicas que geraram o White Album no ano seguinte.

Vista do Ananda in the Himalayas - Divulgação/Ananda in the Himalayas - Divulgação/Ananda in the Himalayas
Vista do Ananda in the Himalayas
Imagem: Divulgação/Ananda in the Himalayas

Entre os indianos, acredita-se que essa região na porção norte do país seja carregada de "shakti", a energia cósmica.

Além disso, a localidade é considerada também o local do nascimento da prática da ioga há milhares de anos e, por isso mesmo, é hoje conhecida como capital mundial da prática.