PUBLICIDADE
Topo

Entre onda de calor e pandemia, polícia britânica libera praias lotadas

25/06 - Praia lotada em Southend-on-Sea, na Inglaterra - Getty Images
25/06 - Praia lotada em Southend-on-Sea, na Inglaterra Imagem: Getty Images

Da AFP

25/06/2020 15h33

A onda de calor que atingiu a Europa levou os britânicos para as praias em massa, nesta quinta-feira (25), o que fez as autoridades locais chamarem a polícia para dispersar a multidão, em meio à pandemia de coronavírus.

No dia mais quente do ano no Reino Unido, a temperatura atingiu 33,3 graus Celsius no aeroporto londrino de Heathrow.

Apesar da orientação para que se mantenha a distância física para impedir a propagação da COVID-19, multidões encheram as praias.

Praia Inglaterra - Getty Images - Getty Images
Movimento surpreendeu o governo e a polícia responsável pela organização dos locais
Imagem: Getty Images

Por conta do grande fluxo de visitantes, a prefeitura de Bournemouth, uma cidade litorânea no sul da Inglaterra, declarou "incidente grave", desencadeando uma resposta coordenada da polícia e dos serviços de resgate.

Em um comunicado, a prefeitura condenou a atitude "irresponsável" e "chocante" dos banhistas.

As autoridades locais emitiram mais de 500 multas por estacionamento ilegal e enfrentaram violações da proibição de acampar, assim como de abuso verbal por parte do público.

Na manhã desta quinta-feira, mais de 33 toneladas de lixo foram coletadas na costa da cidade.

Praia na Inglaterra - Getty Images - Getty Images
Além da grande quantidade de pessoas, toneladas de lixos precisaram ser removidas
Imagem: Getty Images

"Não estamos em condições de receber tantos visitantes neste momento (...) Por favor, não venham, não estamos prontos para recebê-lo", disse a prefeita Vikki Slade.

As autoridades de saúde britânicas recomendam, atualmente, manter uma distância de dois metros entre as pessoas para impedir a propagação do novo coronavírus.

O número de mortos no Reino Unido passa de 43.000 pessoas.

Essa distância será reduzida para um metro para permitir a reabertura de bares, restaurantes, salões de beleza e cinemas, no dia 4 de julho, mas somente se forem tomadas medidas para reduzir o risco, como o uso de equipamentos especiais de proteção, ou ventilação.

"Continuamos em uma crise de saúde, e o grande número de pessoas que visitam nossa região aumenta a pressão sobre nossos serviços de resgate", explicou Sam de Reya, da polícia local.

O calor se abateu com força sobre grande parte da Europa esta semana, com termômetros acima dos 30 graus nos países escandinavos.

Essa onda de altas temperaturas, a primeira desde que o novo coronavírus atingiu a vida dos europeus, deve desaparecer no fim de semana.