PUBLICIDADE
Topo

Siga o Copo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Brasileiro deixa cerveja de lado e prefere vinho nas férias, diz pesquisa

Vinho ou cerveja: qual a sua bebida para conhecer outros lugares? - Getty Images/iStockphoto
Vinho ou cerveja: qual a sua bebida para conhecer outros lugares? Imagem: Getty Images/iStockphoto
Conteúdo exclusivo para assinantes
Juliana Simon

Juliana Simon é editora-assitente de Nossa, a plataforma de lifestyle do UOL, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Colunista e editora-assistente de Nossa

01/12/2021 16h04

O que você bebe em suas viagens? Apesar de ser a bebida alcoólica mais consumida do Brasil, a cerveja já não é a escolha óbvia para os brasileiros que estão em férias pelo país e pelo mundo.

Segundo pesquisa da Booking.com* em primeira mão para o Siga o Copo, 33% dos participantes do estudo com 1000 brasileiros afirmaram que o vinho tem mais a ver com o sabor de viagens, à frente dos 24% que preferem a cerveja. Até mesmo o cheiro do vinho (21%) os remete mais às viagens do que o da cerveja (16%) de acordo com os pesquisados.

O que isso quer dizer para os cervejeiros? No mínimo, um alerta para mais iniciativas que associem as delícias do comer, beber (cerveja) e viajar. Ainda são poucos os tours voltados para a divulgação das cervejas — e claro, a pandemia tem papel fundamental nesse cenário um tanto quanto morto.

Mais uma vez, porém, o vinho pode dar um caminho para os apreciadores da cerveja. Não são poucas as vinícolas que dedicam espaços organizados para o enoturismo, enquanto a cerveja conta com experiências um tanto sem graça promovidas por grandes marcas — botar a mão no malte, cheirar o lúpulo e beber umas tantas cervejas não entrega nada tão atraente mais.

Há, claro, exceções, como o ótimo 12 Beers que dava nova cara à cena cervejeira curitibana e já foi devidamente testado pelo blog em 2018. E o sonho pela Mantiqueira, com a visita à Zalaz.

Por enquanto, contamos com alguns festivais totalmente dissociados do que pode ser um abraço ao turista interessado e ao cervejeiro viajante. A gente não quer mais tanta aulinha, concurso. Agora é a vez do conhecimento, degustação e tesão.

O exemplo que vem de fora

Não há como comparar a estrutura turística de zanzar belas cervejarias trapistas da Bélgica, nem de cidades voltadas para a bebida, como Munique, e até mesmo a paixão lupulada dos americanos (um pequeno spoiler futuro: vai ter relato do Siga o Copo em Chicago!), mas no Brasil há variedade e cervejarias criativas e interessadas o bastante para combinarem suas produções e experiências para turistas se fascinarem de novo pela nossa querida bebida.

E quem ganha com isso? Todos. Mais entusiastas, mais movimento, mais divulgação, mais chances de animar o mercado, tão ferido neste período de covid.

#FicaaDica

Outros dados da pesquisa da Booking.com podem dar boas ideias para quem se animar a promover a cultura cervejeira sem cair no óbvio. Mascarados, imunizados e distanciados, é claro.

Três a cada quatro dos pesquisados (76%) afirmam que uma boa experiência gastronômica faz a diferença em uma viagem. Para 43%, o sabor que mais os remete às viagens de férias é o de "comidas de rua". Seguido desta preferência vêm as massas e pizzas (42%), o churrasco (41%), e o café da manhã de hotel ou comidas típicas (38%).

Apesar de as comidas típicas não figurarem no topo do ranking dos sabores de férias, 92% dos participantes revelam que preferem experimentar uma comida tradicional do local a fazer refeições internacionais.

E a gastronomia também se revela uma protagonista das preferências: 67% gostam mais de visitar um mercado local com cheiros específicos da culinária do lugar do que uma rua comercial com lojas perfumadas.

74% preferem apreciar uma paisagem natural à vista de uma grande cidade, e 65% dos brasileiros preferem visitar lugares icônicos e turísticos em vez de lugares menos conhecidos.

*Pesquisa encomendada pela Booking.com e realizada com um grupo de adultos que pretende viajar nos próximos 12 meses. No total, 1.000 entrevistados no Brasil responderam a uma pesquisa on-line em outubro de 2021.

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em Instagram e Untappd.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL