PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Mauro: Santos abriu mão da bola no clássico, Diniz precisa disso, diversidade

Do UOL, em São Paulo

21/06/2021 16h46

O clássico pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro entre Santos e São Paulo marcou o reencontro do técnico Fernando Diniz com o time que comandou até o início deste ano e terminou com vitória santista por 2 a 0 na Vila Belmiro, em jogo no qual o time de Diniz teve bem menos posse de bola que o rival, com 61% a 39% para o São Paulo.

No podcast Posse de Bola #136, Mauro Cezar Pereira destaca a forma como o momento dos gols marcados pelo Santos também ajudou o time a poder jogar por menos tempo com a bola e destaca que o jogo mostra uma possível evolução de Diniz, que abdicou da forma característica de seus times e assim conseguiu a vitória sobre o time tricolor.

"Eu acho que o jogo também se desenha para essa postura do Santos do Diniz, não é nem recusando, mas não fazendo tanta questão da posse de bola, muito em função do segundo tempo. Já no primeiro tempo o São Paulo teve mais posse, mas no segundo muito mais, porque o Santos vencia por 2 a 0, mas não era comum, não é comum, aliás. Aconteceu isso no meio de semana, Fluminense e Santos. O Fluminense não teve a bola, venceu por 1 a 0 e o Santos perdeu um caminhão de gols, foi aquele velho roteiro dos times do Fernando Diniz", afirma Mauro Cezar.

"Mas eu acho que os dois gols do primeiro tempo, especialmente o segundo, pela maneira como aconteceu, acabaram pautando aí essa questão e aí o Santos meio que abriu mão. Eu acho que do ponto de vista do Fernando Diniz é uma evolução", completa.

O jornalista lembra que este é um quesito que ele também espera de outros treinadores, de poder fazer com que seus times consigam jogar de diferentes maneiras em situações específicas.

"Os técnicos precisam ter uma diversidade no seu jogo. Como é que eu me comporto contra esse adversário? Como é que eu me comporto nessa partida dentro daquilo que aconteceu até agora? Vai jogar sempre do mesmo jeito? Não, é preciso ter diferentes formas de jogar e ontem para o Santos isso era o ideal", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol