PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Juca: Abel deveria falar com o Galiotte, que vota em quem faz o calendário

Do UOL, em São Paulo

20/02/2021 04h00

O técnico Abel Ferreira voltou a reclamar do calendário do futebol brasileiro depois da derrota sofrida para o Coritiba pelo Brasileirão, em uma temporada na qual o Palmeiras disputa todos os jogos possíveis e, em algumas semanas, tem jogos a cada dois dias.

No podcast Posse de Bola #101, Juca Kfouri cita sua coluna para a Folha de S. Paulo e afirma que o técnico brasileiro está descobrindo o que é o futebol brasileiro, mas deveria questionar o presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, que poderia ser contrário à aprovação do calendário na Confederação Brasileira de Futebol.

"É mais um que descobre a insanidade do nosso calendário, mas lembro a ele uma série de coisas, entre outras, para ele ter uma boa conversa com o presidente do clube dele, que vota nessa gente que faz o calendário, que não se insurge contra os campeonatos estaduais, que come na mão desses presidentes de federação, presidentes de confederação, enfim, que essa é a realidade do nosso futebol", diz Juca.

"Uma realidade de fato insana, que castiga o sucesso. Eu digo isso, quanto mais o time dele ganhar, mais jogadores dele serão convocados para as seleções brasileira e as seleções estrangeiras, como por exemplo do Paraguai, que tem jogador dele, e ele não terá esses jogadores nas Datas Fifa, em que o nosso calendário não para, e por aí afora, e jogará mais torneios, porque se classificará para mais torneios, e fará mais maratonas, enfim, esse é o futebol brasileiro e é o que explica, ele tem razão quando diz isso, até a instabilidade dos treinadores porque não podem treinar seus times", completa.

O jornalista rebate as críticas feitas ao treinador português em tom xenófobo, como se ele não pudesse reclamar por não ser brasileiro.

"A única coisa que eu acho intolerável é ouvir gente dizendo 'esse cara chegou agora, é estrangeiro, ele tem mais é que agradecer o dinheiro que ele está ganhando aqui, não tem que fazer crítica?. Tem que fazer crítica sim", diz Juca.

"Ele está trabalhando aqui, está constatando uma situação absolutamente anômala em termos do mundo civilizado do futebol e tem todo o direito de fazer crítica, vamos parar com essa xenofobia, de não poder aceitar crítica porque ele é estrangeiro", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol