PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mauro: "É difícil imaginar o que vai acontecer com o Botafogo se ele cair"

Do UOL, em São Paulo

25/11/2020 04h00

O Botafogo brigou contra o rebaixamento no ano passado e volta a ocupar uma posição entre os quatro últimos no Campeonato Brasileiro atual, além de ter problemas também fora de campo nas questões política e financeira, e nas condições do clube, o jogo de hoje contra o Atlético-MG tem muita importância para não se distanciar do último time antes do Z4.

No podcast Posse de Bola #76, Mauro Cezar Pereira vê uma situação complicada para o Botafogo em um ano em que os demais clubes já têm problemas financeiros devido à pandemia, o que se agrava no caso do Botafogo por ter mais dívidas que receitas previstas. No caso de um rebaixamento, o jornalista aponta que a recuperação pode ser difícil para o clube alvinegro.

"Pode ser que escape, porque novamente existem outros times que são muito fracos, com elencos até mais fracos do que o do Botafogo, mas que eventualmente conseguem mais resultados. O problema é ficar a vida inteira nisso, o Botafogo não sai disso, está todo ano nessa situação, tirando o time de 2017, com o Jair Ventura, que conseguiu ir tão bem na Libertadores e foi à semifinal da Copa do Brasil, e no Brasileiro não correu risco de rebaixamento, todo ano tem sido assim”, diz Mauro Cezar.

"O mais grave é imaginar se o Botafogo for rebaixado, aí realmente vai ficar bem complicado, porque essa temporada, todos os clubes têm problemas financeiros, inclusive Palmeiras, Flamengo, Grêmio, todos eles têm, têm que vender jogador, não tem um que escape, todos têm os seus problemas e mesmo os grandes da Europa estão perdendo grana, deixando de faturar”, completa.

O jornalista lembra que o valor pago pelos direitos de transmissão para clubes rebaixados hoje é inferior, o que agrava a situação de clubes grandes na busca pelo acesso, como ocorre atualmente com o Cruzeiro, além do fato de o Botafogo ter um endividamento alto.

"É uma dívida que é várias vezes o faturamento do clube e o faturamento despenca esse ano para todo mundo. Faz o quê? Se um time vai para a segunda divisão, vai ter uma receita de televisão de Série B de R$ 6 milhões. Como vai ser? O Caso do Botafogo é muito grave, muito muito grave, é bem complicado, porque é uma dívida muito grande e muito desproporcional em relação ao seu faturamento. Eu acho que ficou muito tempo agarrado a essa possibilidade de clube-empresa, como salvação e a coisa não avançou”, diz Mauro Cezar.

"É uma situação bem assustadora, eu acho muito preocupante mesmo e isso tem pouca repercussão na mídia, mas é um clube que se cair de novo, seria a terceira vez, é difícil imaginar o que vai acontecer, porque no ano que vem, quando fechar essa temporada, muitos clubes vão ficar em uma situação bem complicada, bem complicada por conta da pandemia”, conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol