PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Benzema 'encorajou' Valbuena a pagar grupo em caso de sextape, diz Justiça

Jogador do Real Madrid e da seleção francesa não compareceu ao tribunal no início do julgamento, que vai até sexta (22) - Susana Vera / Reuters
Jogador do Real Madrid e da seleção francesa não compareceu ao tribunal no início do julgamento, que vai até sexta (22) Imagem: Susana Vera / Reuters

Yiming Woo e Manuel Ausloos

20/10/2021 11h22

O atacante da França e do Real Madrid Karim Benzema foi julgado à revelia hoje, acusado de ser cúmplice na tentativa de chantagem do ex-companheiro de seleção Mathieu Valbuena por causa de um vídeo de sexo.

Os promotores alegam que Benzema, que negou qualquer irregularidade, encorajou Valbuena a pagar um suspeito grupo de chantagistas para manter o vídeo sexualmente explícito longe do olhar público.

Eles dizem que Valbuena recebeu a primeira ligação ameaçando expor a gravação em junho de 2015, enquanto estava no centro de treinamento da seleção francesa em Clairefontaine, a oeste de Paris.

Valbuena disse ao tribunal de Versalhes hoje que estava claro que a pessoa que ligou queria dinheiro e que a tentativa de chantagem o deixou preocupado com sua carreira e seu lugar na seleção nacional.

Benzema não compareceu ao tribunal no início do julgamento por causa de obrigações profissionais, de acordo com seu advogado, que descreveu o caso contra ele como "absurdo".

Benzema e Valbuena chegaram a perder seus lugares na seleção nacional na esteira do escândalo.

Entre os co-acusados de Benzema estão seu amigo de infância Karim Zenati, que supostamente agiu como intermediário, e Mustapha Zouaoui, um dos suspeitos por arquitetar o golpe.

Zouaoui disse a repórteres que recebeu o vídeo de caráter sexual e o compartilhou com Benzema e outros membros da seleção francesa, mas disse que nunca houve tentativa de extorquir dinheiro de Valbuena. "Guardamos a gravação para nós mesmos", disse ele antes do início do julgamento.

Benzema, acusado de ser cúmplice na tentativa de chantagem, pode pegar até cinco anos de prisão e uma multa de 75 mil euros caso seja condenado.

Futebol