Topo

Pelé admite surpresa com momento do Flamengo: "Coisa maravilhosa"

Pelé conquistou dois títulos de Libertadores pelo Santos, em 1962 e 1963 - Eduardo Anizelli/Folhapress
Pelé conquistou dois títulos de Libertadores pelo Santos, em 1962 e 1963 Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress

Santos (SP), 20 nov (EFE) — Bicampeão da Taça Libertadores pelo Santos, em 1962 e 1963, Pelé comentou a final da atual edição do torneio continental, entre Flamengo e River Plate que será disputada no próximo sábado no Estádio Monumental de Lima, e disse ter se surpreendido com o crescimento do Rubro-Negro na temporada.

"Para todos nós, foi uma surpresa a ascensão do Flamengo. É uma coisa maravilhosa o que está acontecendo", disse o Rei em entrevista à Agência Efe no museu que leva o seu nome em Santos, no litoral de São Paulo.

O tricampeão mundial com a seleção brasileira advertiu que as equipes argentinas são sempre difíceis e disse esperar uma partida maravilhosa para os fãs de futebol, independentemente do time para o qual torcem.

Ele também recomendou aos jogadores do atual campeão carioca que se preocupem apenas com o próprio time e em jogar futebol, deixando de lado qualquer tipo de provocação dos adversários. "Provocação é algo natural para os times, não apenas os argentinos", comentou o Atleta do Século.

"A provocação dos argentinos, de que todos falam, é a mesma que a dos uruguaios, dependendo da equipe. Os chilenos também agem assim, é uma coisa normal em campo", completou.

Pelé disse que na sua época ele também era provocado no gramado pelos adversários, assim como Garrincha também era e como hoje acontece com Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, entre outros que o tricampeão mundial pela seleção brasileira citou.

"Qualquer jogador que entra em campo e chama a atenção terá sempre alguém marcando-o, provocando-o. É uma coisa que sempre vai acontecer, é natural", opinou.

O primeiro título de Libertadores do Rei foi conquistado em 1962 no jogo de desempate contra o Peñarol, vencido pelo Santos por 3 a 0 no Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires. O camisa 10 marcou dois gols. O segundo, um ano depois, foi obtido com duas vitórias sobre o Boca Juniors, por 3 a 2 no Maracanã e por 2 a 1 em La Bombonera, onde Pelé deixou sua marca.

"Não é possível esquecer aquele jogo, a final de um campeonato, contra um rival, vizinho, argentino. É uma das coisas que você nunca esquece, porque estávamos muito preocupados antes do jogo, aquele nervosismo, era uma coisa maravilhosa que não esquecemos", lembrou o ídolo, que não escondeu a torcida para o próximo sábado.

"Espero que o Brasil tenha uma nova oportunidade de vencer a Libertadores com o Flamengo", declarou.

Errata: o texto foi atualizado
A primeira partida final entre Santos e Boca Juniors em 1963 foi realizado no Maracanã, e não na Vila Belmiro. A informação foi corrigida.

Flamengo