Fábio Santos chora com companheiros e pede desculpa à filha por adeus sem título

Fábio Santos chorou muito na última sexta-feira, véspera da derrota por 2 a 1 para o Internacional, jogo que marcou o fim de sua carreira como atleta profissional. As lágrimas foram registradas em um vídeo feito pelo Corinthians, que colocou familiares e companheiros do lateral-esquerdo frente a frente com ele, em uma sala.

A situação provocou emoção em ambos os lados. Entre os jogadores, Paulinho e Renato Augusto foram os que mais se emocionaram, mas o encontro mais impactante para Fábio foi com a filha, Duda. Quando a menina de 15 anos entrou na sala e sentou-se à sua frente, o agora ex-jogador de 38 anos demorou para conseguir falar, enquanto chorava.

Por isso, primeiro ouviu Duda. "Todo mundo fala que a gente é fechamento e tem uma conexão muito forte. Você me mostrou tudo nessa vida, tudo que eu quero ser é baseado em você", disse. Ao se recompor, Fábio pediu desculpas à filha por não ter conseguido um título em seu retorno ao Corinthians.

"Se tem uma coisa que ficou faltando para mim, se é que dá para dizer isso - jamais vou reclamar de nada que tenho na minha carreira -, mas, nesta volta, foi a falta de um título. Eu sei o quanto você e seu irmão torcem para isso e choram todo jogo, se envolvem, vivem intensamente tudo isso. Faltou um título nesta volta, desculpa por não ter conseguido te dar. Eu juro que tentei o máximo possível. Este ano foi muito difícil e só a gente sabe o que a gente passou. Eu chegava em casa chateado e vocês me davam o melhor abraço do mundo", afirmou.

A primeira passagem do lateral pelo clube alvinegro foi vitoriosa, com a conquista da Libertadores e do Mundial de 2012, além de dois Campeonatos Brasileiros, em 2011 e em 2015, ano em que deixou o clube em junho para defender o Cruz Azul do México. Voltou ao Corinthians em 2020, após passagem pelo Atlético-MG, e não voltou a levantar taças. Apesar disso, ficou feliz de ter seus filhos, já mais crescidos, vivendo o dia a dia corintiano, como disse a Leo, seu filho mais novo, de 12 anos, durante a homenagem de sexta.

"Eu vivi momentos maravilhosos aqui dentro do clube e vocês eram pequenos. O Léo nasceu campeão brasileiro, nasceu em novembro de 2011. No melhor ano da minha vida, 2012, com Libertadores e Mundial, eles eram bem pequenos. Só tinham escutado histórias, poder ter voltado e eles terem sentido tudo isso, viver na Arena, sentir o torcedor corintiano, tudo aquilo que eu passava para eles, eles puderam compartilhar. Não tem alegria maior que ver meus filhos corintianos", disse.

A ação também contou com a participação de Fernanda, mulher do ex-jogador, que recebeu uma declaração. "É uma coisa que eu gosto de fazer, vou sentir falta, mas uma coisa que tem me ajudado a superar são vocês. Sem você, nada disso teria acontecido. Eu não teria tido uma carreira de sucesso. Você as crianças são as principais coisas, não só nos momentos bons, mas nos momentos ruins."

Renato e Paulinho muito emocionados

Além da família, sentaram-se à frente de Fábio Santos jogadores que fazem parte do elenco atual e dividiram glórias passadas com ele. Caso de Renato Augusto, que assim como o lateral, mostrou-se muito abalado pela forma como o ano de 2023 transcorreu para o Corinthians. O meia de 35 anos, que pode estar perto de encerrar a carreira, falou sobre o quanto a amizade dos dois foi importante para atravessar o momento ruim.

Continua após a publicidade

"Eu tenho a sensação que eu vou ter que parar de jogar duas vezes", começou Renato, fazendo uma pausa longa para chorar. "Principalmente pelo que a gente viveu neste último ano, de muitas incertezas, e um apoiou o outro. Sem dúvida é o ano mais difícil da carreira e ao mesmo tempo uma amizade, uma cumplicidade muito grande. Sem esse companheirismo, essa irmandade, não daria. Sem dúvida, você foi meu maior amigo no futebol", completou.

Na sua vez, o volante Paulinho leu um texto, antes de dar um abraço emocionado, em meio a muitas lágrimas. "Você faz parte da minha família, você sabe do que eu estou falando, e você sempre continuará sendo meu líder". Já o goleiro Cássio, após dizer algumas palavras, ouvir Fábio agradecê-lo pelos títulos que conquistaram juntos. "Os principais títulos da minha carreira, querendo ou não, foi você que me deu", disse o aposentado.

O zagueiro Gil, por sua vez, foi mais espirituoso e mudou um pouco o clima. "Todo mundo fica triste, todo mundo fica chorando. Não vai morrer, está vivão", brincou. "A gente quase morreu este ano, mas sobrevivemos", respondeu Fábio Santos, referindo-se às dificuldades enfrentadas no ano pelo Corinthians, que conviveu com protestos da torcida e brigou contra o rebaixamento até a parte final do Campeonato Brasileiro.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes