PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Treinador diz que Mike Tyson poderia competir com estrelas do boxe atual

Com 54 anos, Mike Tyson não luta desde 2005, quando perdeu para Kevin McBride - STEVE MARCUS
Com 54 anos, Mike Tyson não luta desde 2005, quando perdeu para Kevin McBride Imagem: STEVE MARCUS

Ag. Fight

Ag. Fight

22/09/2020 07h00

Responsável por comandar os treinamentos de Mike Tyson para o seu retorno aos ringues, Rafael Cordeiro não cansa de exaltar o potencial do ex-campeão mundial, que encara Roy Jones Jr em luta exibição no dia 28 de novembro, na Califórnia (EUA).

Em entrevista ao site TMZ Sports, o brasileiro - líder da equipe 'Kings MMA' - demonstrou confiança inclusive na possibilidade do veterano, de 54 anos, fazer frente aos principais nomes da categoria peso-pesado no boxe mundial atualmente.

Questionado sobre como 'Iron Mike' se sairia, mesmo com a idade avançada, contra nomes como Tyson Fury, Anthony Joshua ou Deontay Wilder - três expoentes do boxe profissional hoje em dia -, Cordeiro não descartou a possibilidade do ex-campeão ter sucesso diante dos atletas citados.

Como justificativa, o treinador apontou, além do talento natural do americano, o trabalho feito por ele nos treinamentos durante essa preparação.

"Eu acredito que Mike possa fazer isso (competir contra a nata do boxe da atualidade). Se ele colocar na sua mente que quer lutar pelo cinturão um dia, por que não? Quem vai dizer que é impossível de fazer? Ele está lutando todo santo dia na academia e eu acredito que o melhor ainda está por vir. Por que não? Se um dia ele quiser provar, colocar sua técnica para testar, por que não lutar pelo cinturão?", ponderou Rafael Cordeiro.

Com 54 anos, Mike Tyson não luta desde 2005, quando perdeu para Kevin McBride. O americano acumula cartel com 50 vitórias, sendo 44 por nocaute, e seis derrotas na carreira. Já Roy Jones, três anos mais novo, carrega currículo com 66 vitórias, sendo 47 por nocaute, e nove reveses nos ringues profissionais. Sua última apresentação aconteceu em 2018, em vitória sobre Scott Sigmon.

Esporte