PUBLICIDADE
Topo

Futebol


"Regras são regras", diz Arsène Wenger sobre punição ao City

Arsène Wenger concede entrevista no Laureus - Boris Streubel/Getty Images for Laureus
Arsène Wenger concede entrevista no Laureus Imagem: Boris Streubel/Getty Images for Laureus

17/02/2020 21h17

Berlim, 18 Fev 2020 (AFP) — O ex-técnico do Arsenal, o francês Arsène Wenger, não demonstrou muita empatia pelo Manchester City, excluído por duas temporadas de competições europeias por ter violado o fair play financeiro.

"Regras são regras e aqueles que não as respeitam devem ser punidos", disse o atual diretor de desenvolvimento da Fifa durante a entrega do prêmio Laureus nesta segunda-feira em Berlim.

Na sexta-feira passada, a Uefa anunciou a exclusão do Manchester City de todas as suas competições durante os próximos dois anos, além de uma multa de 30 milhões de euros.

Uma penalidade, contra a qual o City já anunciou que vai apelar, motivado pelas manipulações contábeis do clube, que teria inflado sua receita de patrocínio para respeitar o fair play financeiro imposto pela Uefa.

"Se for provado que eles fizeram isso de propósito, você não pode ficar impune", acrescentou Wenger, que brincou com a situação, lembrando que o Manchester City, comprado em 2008 pelo xeque Mansour bin-Zayed al-Nahyan, lhe tirou vários jogadores.

"Eles compraram todos os meus jogadores", brincou Wenger, de 70 anos, que durante seu tempo como técnico dos 'Gunners' (1996-2018) teve vários de seus atletas contratados pelo City: Kolo Touré e Emmanuel Adebayor em 2009, Gael Clichy e Samir Nasri em 2011 e Bacary Sagna em 2014.

Ouça o podcast Posse de Bola, a mesa redonda do UOL sobre futebol, com Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Futebol