PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Hamilton não quer falar de título durante GP dos EUA de F1

19/10/2017 18h38

Austin, Estados Unidos, 19 Out 2017 (AFP) - O piloto britânico Lewis Hamilton chamou de "bobas" as conversas sobre a possível conquista de seu quarto título mundial durante o Grande Prêmio dos Estados Unidos de Fórmula 1, neste fim de semana.

Se Hamilton vencer neste domingo em Austin e o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, terminar atrás do quinto lugar, o inglês ficaria com o título e entraria no Top 5 dos maiores vencedores da F1, ficando atrás apenas do alemão Michael Schumacher (7) e do argentino Juan Manuel Fangio (5) e empatando com o francês Alain Prost e o próprio Vettel (4).

"Sinceramente, não sei, todas essas conversas sobre ganhar o título aqui são realmente bobas. Sebastian Vettel não terá os mesmos problemas (que nas últimas corridas) e será muito rápido aqui", declarou Hamilton.

"O título se decidirá nas últimas quatro corridas, então no momento só estou concentrado em ganhar aqui", continuou.

"Não me importa se for aqui ou na última corrida, mas o mais importante é ganhar, em meio a tudo que está acontecendo neste país, é uma prioridade para mim... Vocês sabem do que estou falando".

Hamilton não quis explicar em detalhes o motivo de ser tão importante para ele ganhar o GP dos Estados Unidos.

Questionado sobre se teria a intenção de se ajoelhar durante o hino nacional, em sinal de apoio aos jogadores da NFL que fazem o gesto como sinal de protesto contra as injustiças raciais nos Estados Unidos, Hamilton preferiu não comentar.

"Não pensei muito sobre isso", afirmou.

"Trabalhei duro para estar aqui hoje e tenho meus sentimentos sobre toda essa situação, mas neste momento não decidi fazer algo".

Após o GP dos Estados Unidos, a Fórmula 1 disputará corridas no México, Brasil e Abu Dhabi.

"Tenho vontade de ir ao México, onde sempre senti o amor e apoio das pessoas. É um evento incrível e que está crescendo a cada ano", afirmou o britânico.

"O objetivo é ganhar e toda minha energia está focada nessa missão. Não me importa onde aconteça, aqui ou no México ou em Abu Dhabi. No México sabem festejar, então colocarei um 'sombrero' e farei a festa lá se possível", concluiu.

Esporte