Walewska: jogadora descobriu traição do marido 10 dias antes de morrer

A campeã olímpica Walewska Oliveira, que morreu há 2 meses em São Paulo, descobriu 10 dias antes que seu marido teve um filho fora do casamento. O menino, hoje com dez meses, mora com a mãe em Minas Gerais.

O que aconteceu

Um homem procurou Walewska no Instagram para contar que o marido dela, Ricardo Alexandre Mendes, teve um filho com outra mulher. O garoto foi registrado por esse homem, que não podia ter filhos.

Walewska citou a traição do marido nas cartas que foram encontradas pela polícia no 17º andar do prédio em que ela morava. A jogadora caiu da área de lazer do condomínio, localizado na Bela Vista, em São Paulo.

O homem que revelou a traição foi namorado da mãe do garoto e aceitou registrar o bebê. O rompimento do relacionamento o levou a contatar Walewska.

Ricardo está pagando pensão para o garoto e, segundo apurou a reportagem, iniciou o processo para registrá-lo. Ele e a mãe do bebê não mantêm um relacionamento, mas ele faz visitas periódicas ao filho.

Foram encontradas quatro cartas da jogadora de vôlei, se despedindo. Elas foram endereçadas a um amigo (Luiz Gustavo Del Maestro), aos pais (Maria Aparecida Moreira e Geraldo Oliveira) e ao irmão (Wesley Oliveira). Também foram encontrados agradecimentos ao técnico Bernardinho e a companheiras do esporte.

Centro de Valorização da Vida

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV (Centro de Valorização da Vida) e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade. O CVV funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

Homem procurou Walewska após fim de relação

O homem que revelou a traição para Walewska viveu um relacionamento de oito anos com mãe do garoto. Ele enviou uma mensagem pelo Instagram em que relatava que o marido de Wal a estava traindo com a ex-mulher dele.

Continua após a publicidade

A notícia de que a relação extraconjugal gerou uma criança foi dada só após as respostas de Walewska. Uma fonte relatou a história à reportagem, mas pediu para que o nome do homem não fosse publicado.

Amigos e familiares falaram à reportagem que o sonho de Walewska era ser mãe e que o marido nunca aceitou que os dois tivessem filhos.

Procurado pela reportagem, Ricardo Mendes disse: "Esse assunto já acabou, não tem mais o que explorar dessa história. Pelo amor de Deus, me deixe eu passar o meu luto em paz".

Mãe de bebê achou que Ricardo estava separado

A relação entre a mãe do bebê e o viúvo de Walewska começou em abril de 2022, em uma cidade de Minas Gerais. Na época, Ricardo estava casado, mas a mulher estava solteira.

O bebê teria sido gerado no início do relacionamento e Ricardo teria dito que assumiria a criança. Isso não aconteceu porque, antes do nascimento, a mulher descobriu que o parceiro ainda estava casado.

Continua após a publicidade

Após a separação, a mulher reatou o relacionamento com seu ex-namorado. É o homem que registrou a criança como seu filho e depois revelou a traição para Walewska.

Ricardo mantém um relacionamento com a criança, paga uma pensão, aulas de natação e um plano de assistência médica. A reportagem apurou que os trâmites para que o nome de Ricardo apareça na certidão de nascimento estão em andamento.

Wal deixou quatro cartas de despedida

Walewska citou a traição do marido em três das quatro cartas que foram encontradas pela polícia no lugar em que a jogadora morreu. Elas foram encontradas ao lado de uma garrafa e uma taça de vinho.

Os textos indicam que ela cometeu o suicídio e citam a traição do marido e o filho fora do casamento.

O único texto que não fala do caso é endereçado a companheiras de vôlei e ao técnico Bernardinho. Waleswka foi campeã olímpica em 2008, sob o comando de José Roberto Guimarães, e defendeu o Rexona, projeto comandado por Bernardinho, entre 1998 e 2003.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes