PUBLICIDADE
Topo

Futebol feminino

Pia projeta futuro de Marta na seleção: 'Mais perto do gol, talvez'

Marta disputa as Olimpíadas de Tóquio pela seleção brasileira - Sam Robles/CBF
Marta disputa as Olimpíadas de Tóquio pela seleção brasileira Imagem: Sam Robles/CBF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/09/2021 13h02

Após a eliminação nas quartas de final nos Jogos Olímpicos de Tóquio - derrota para o Canadá nos pênaltis -, a treinadora Pia Sundhage, da seleção brasileira feminina, avaliou o papel de Marta para a equipe e ponderou que a camisa 10 não tem a mesma importância que tinha há alguns anos.

Pia ainda disse que a função de Marta na competição, atuando mais na ponta, deve mudar, e defendeu que naquela situação, o posicionamento escolhido foi o melhor para o time.

"Nas Olimpíadas de 2008, eu treinava a equipe adversária do Brasil e posso dizer como a Marta era importante para o time. Ela não tem mais aquele papel. Marta vai ser mais uma peça na nossa equipe e espero que ela queira. Se ela quiser e estiver disposta a amar o jogo com toda a paixão, ela pode ter um grande papel", disse Pia em entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Globo.

"As jogadoras sabem em qual função atuam melhor. Nas Olimpíadas, talvez jogar mais perto do gol fosse melhor para a Marta, mas não para o time. Eu tenho que dar a melhor resposta para o time. Então, se você olhar para as nossas atacantes, ainda acho que foi a melhor solução nas quartas de final. Agora, teremos novas jogadoras, talvez a gente mude um pouco nosso estilo. Marta não é mais tão veloz e eu gostaria de vê-la mais perto do gol, talvez", completou.

Futebol feminino