PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Globo eleva cotas, mas encaminha renovação comercial do futebol em 2021

Galvão Bueno, principal nome do Esporte da Globo - Divulgação/Globo
Galvão Bueno, principal nome do Esporte da Globo Imagem: Divulgação/Globo

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

05/10/2020 13h19

A Globo colocou no mercado na última semana o pacote comercial do futebol 2021. Desta vez sem Libertadores, que foi para o SBT, e com menos datas previstas de transmissões ao vivo, a emissora carioca vai cobrar mais caro para marcas que queiram anunciar no espaço ao vivo. Mesmo sem a competição mais importante das Américas, pelo menos dois anunciantes já estão dando sinal verde no sentido de renovação.

O UOL Esporte teve acesso ao pacote publicitário do próximo ano. Estão previstas as transmissões de 63 jogos em 2021, contabilizando Estaduais, Copa do Brasil, Brasileirão e jogos da Eliminatórias da Copa de 2022. A Eurocopa não é contabilizada. Nem mesmo o torneio olímpico de futebol aparece nas contas de datas do futebol - as Olimpíadas de Tóquio serão vendidas em um novo pacote comercial, que será divulgado em breve.

A Globo pretende vender seis cotas ao valor de R$ 311 milhões, cerca de R$ 4 milhões a mais em relação ao que as marcas pagaram este para este ano - uma variação de 1,3%. O faturamento total previsto é de R$ 1,8 bilhão.

Em comparação a temporada 2020, são prometidas menos 22 datas de exposição nas transmissões. A ausência da Libertadores, após a rescisão contratual deste ano, obviamente pesa nesta redução. A competição continental, que agora é do SBT, dava pelo menos mais dez janelas de calendário para a Globo, contando fase de grupos e mata-mata.

O valor final das contas subiu em razão de três fatores. O primeiro deles é a exposição em mídias digitais e nos programas de maior audiência da Globo. A emissora promete mais inserções, por exemplo, no "Jornal Nacional" e na novela das 21h, os dois maiores Ibopes da televisão brasileira, sempre acima dos 30 pontos de média na Grande São Paulo, referência para o mercado publicitário.

Outras inserções serão feitas nos canais oficiais da emissora na internet. O canal no YouTube criado recentemente pela emissora para conteúdo, gols e melhores momentos, já conta com mais de 250 mil inscritos em um mês e meio de ativação. A expectativa é chegar em 1 milhão em um ano.

O segundo ponto é que esse valor é do pacote total. Para manter a relevância do mais relevante plano comercial da TV brasileira hoje, a Globo fez uma venda casada do pacote com o SporTV, algo que não aconteceu em 2020. Ou seja, o anunciante que comprar o anúncio no futebol em TV aberta, terá exposição no canal esportivo da Globo e nos jogos da seleção brasileira, que costumam marcar altos índices de audiência. O grupo de comunicação promete até um desconto para a marca que pagar à vista pelo "combo completo" do pacote.

Informalmente, alguns anunciantes já deram um sinal verde. O lançamento desse pacote, oficialmente, acontecerá em um evento remoto no próximo dia 16 de outubro. Depois desta data, os patrocinadores do pacote 2020 respondem se querem continuar ou não. Mas a reportagem apurou que a Hypera Pharma e a Vivo já manifestaram o desejo de continuar no futebol da Globo para a próxima temporada, animando os executivos do grupo.

Curiosamente, a Vivo hoje tem um acordo com o Grupo Globo onde vende o Premiere em um pacote pós-pago, que foi lançado neste ano e já rende bons frutos para a Globo. Já a Hypera Pharma foi a responsável indiretamente por mudar a política de naming rights da emissora carioca, que passou a citar o nome de arenas em transmissões depois que a empresa farmacêutica ter comprado o direito do estádio do Corinthians, agora chamado de NeoQuimica Arena. Além das duas empresas citadas, Itaú, Casas Bahia, Chevrolet e Ambev são cotistas do futebol 'global' atualmente.

Outro ponto importante é que esse pacote só entra em vigor a partir de fevereiro do ano que vem, quando está previsto o fim da temporada do futebol brasileiro em 2020, o que fará o calendário 2021 durar menos.

Em razão da pandemia do novo coronavírus, que fez o futebol parar por quatro meses, a Globo entrou em acordo com os anunciantes do futebol em 2020 para a entrega comercial durar durante toda a temporada. A emissora também ofereceu um "pós-venda" (algo além do combinado inicialmente) com mais exposição nos programas de maior audiência da casa.

UOL Esporte vê TV