PUBLICIDADE
Topo

Athletico critica Globo do Paraná por reprisar titulo apenas para capital

Técnico Geninho é carregado em comemoração ao título brasileiro de 2001 - Flavio Grieger/Folhapress
Técnico Geninho é carregado em comemoração ao título brasileiro de 2001 Imagem: Flavio Grieger/Folhapress

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

24/05/2020 11h36

Na manhã deste domingo (24), o Athletico divulgou um manifesto criticando a RPC, afiliada da Globo no Paraná, por limitar as reprises dos grandes títulos dos clubes paranaenses apenas para a capital Curitiba. Hoje, a RPC irá reprisar com narração original de Galvão Bueno, o título brasileiro de 2001 do Furacão. Mas o interior do Estado, em cidades como Londrina e Cascavel, a final do Mundial de 2005, entre São Paulo e Liverpool, será transmitida.

A revolta do Furacão com a situação havia sido antecipada pela coluna De Primeira, do UOL Esporte, na última sexta (22). No manifesto, o clube diz lamentar que uma emissora que se diz totalmente paranaense, e que deveria ajudar a fortalecer o futebol local, prefira exibir jogos de clubes de outra região quando tem oportunidade.

"Neste domingo (24), um dos momentos mais gloriosos da história do futebol do Paraná será relembrado. A final do Campeonato Brasileiro de 2001, que consagrou o Athletico Paranaense como o melhor time do Brasil, voltará às casas de milhares de torcedores. Infelizmente, os athleticanos do Interior do Estado foram deixados de lado na transmissão pela TV", diz a nota.

"[Torcedores] Estão questionando o clube sobre essa injustiça. Mas isso não está nas nossas mãos. O Athletico lamenta e deixa claro seu descontentamento com essa decisão de uma rede de televisão que, assim como nós, tem a palavra 'Paranaense' em seu nome", fala outro trecho do documento do Athetlico.

O UOL Esporte apurou que os motivos para essa decisão da Globo local é fato dos clubes de São Paulo dominarem as torcidas do público no interior do Paraná. Não raramente, Corinthians, Palmeiras e São Paulo mandam jogos na região de Cascavel e Londrina, por exemplo, e enchem estádios com torcedores locais.

A revolta do Athletico também é do Coritiba, que na semana que vem terá a final do Campeonato Brasileiro de 1985, do qual foi campeão, reprisada também apenas para a capital do Paraná. Ambos os clubes acharam a decisão injusta. Eles preparavam ações para este dia e entendem que a reprise apenas para uma região do estado limita o público que se pode alcançar.

Leia a nota do Athletico na íntegra:

"Neste domingo (24), um dos momentos mais gloriosos da história do futebol do Paraná será relembrado. A final do Campeonato Brasileiro de 2001, que consagrou o Athletico Paranaense como o melhor time do Brasil, voltará às casas de milhares de torcedores.

Infelizmente, os athleticanos do Interior do Estado foram deixados de lado na transmissão pela TV. E estão questionando o clube sobre essa injustiça. Mas isso não está nas nossas mãos.

O Athletico lamenta e deixa claro seu descontentamento com essa decisão de uma rede de televisão que, assim como nós, tem a palavra "Paranaense" em seu nome.

Há 25 anos, o Athletico luta para o futebol paranaense ser mais forte e vencedor. Isso está na raiz do nosso Estado. Mas fica muito mais difícil quando a maior rede de televisão do Estado, que poderia ser uma grande aliada dos clubes nessa luta, impede a disseminação do orgulho do nosso futebol.

Independentemente de ser Athletico, Coritiba, Paraná, Londrina, Cascavel? É o futebol paranaense que precisa de apoio. Só com a união de todos poderemos colocar e manter o nosso Estado entre os principais centros do futebol no Brasil.

E apesar de eles não acreditarem, o interior do Paraná está cheio de athleticanos, coxas, paranistas? O Athletico reconhece a injustiça sofrida por todos eles. E continuará lutando para que eles tenham sua paixão reconhecida como um dos grandes orgulhos de todo o povo paranaense."

Futebol