Topo

UOL Esporte vê TV


João Carlos Albuquerque, sobre saída da ESPN: "Não senti o golpe"

João Carlos Albuquerque, durante entrevista à Rádio Bandeirantes - Reprodução/Bandeirantes
João Carlos Albuquerque, durante entrevista à Rádio Bandeirantes Imagem: Reprodução/Bandeirantes

João Victor Miranda

Colaboração para o UOL

22/08/2019 18h37

Na semana passada, a ESPN anunciou o fim dos vínculos de diversos profissionais da casa. Um dos jornalistas dispensados foi João Carlos Albuquerque, conhecido como Canalha. Hoje (22), em entrevista ao programa "Sem Pauta", da Rádio Bandeirantes, o apresentador contou que a demissão não o pegou de surpresa.

"Não fiquei surpreso com a demissão, não. Pelo menos não senti o golpe, o impacto. Porque imaginava que as coisas lá não estavam muito bem paradas, com essas transações da Disney comprando a Fox. E nunca ninguém sabia o que ia acontecer. Saiu o Germán, argentino, que era diretor geral, há alguns meses. Isso já acendeu um farol, uma luz amarela: 'O que será que está se passando?'. E lá já houve demissões em massa em outros momentos, como em outros lugares", declarou.

Durante a atração, João Carlos Albuquerque confessou que deixou o "Futebol na Veia" por conta do novo formato do programa, com discussões mais estendidas. Por outro lado, o Canalha afirmou que estava satisfeito com sua nova função na emissora, já que teve a oportunidade de entrevistar grandes personalidades brasileiras no "Bola da Vez".

"Enfim, eu já tinha saído do programa diário. No final do ano passado, eu saí do 'Futebol na Veia', quando passou a ter três edições de três horas cada uma. Eu não aguentava mais. Eu estava gostando muito de fazer o 'Bola da Vez'. Tive a chance de entrevistar o Jô Soares, o Amyr Klink, o Rivellino, o Pepe, o Coutinho, o Zé Roberto Guimarães, Renan dal Zotto, Tiffany, Jaqueline, Giba, Muricy, Mano Menezes, Vanderlei Luxemburgo, Eurico Miranda, Fernando Diniz, Tia Leila, duas vezes. Teve gente que não gostou", concluiu.

Sobre o futuro, Canalha ainda não sabe para onde vai, mas levantou algumas hipóteses durante o programa, como se mudar para a praia ou para o interior, terminar livros, dar aulas de italiano ou continuar trabalhando com rádio e TV.