PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Costa diz que cansaço o impediu de nadar melhor na final dos 800m

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

28/07/2021 23h32

Depois de ficar em último lugar na final dos 800m livre na natação das Olimpíadas de Tóquio-2020, Guilherme Costa disse que o cansaço o impediu de um resultado melhor na prova. Segundo o nadador, ele perdeu as forças assim que pulou na piscina.

"Nos 200m eu já estava me sentindo muito inchado, muito cansado, não consegui ir além disso. Me senti cansado desde o início. Tentei até o final, mas realmente não encaixou", falou "Cachorrão", ao UOL Esporte, após a final, na noite desta quarta-feira (28).

O ouro ficou com o americano Robert Finke, com 7min41seg87, a prata para o italiano o Gregorio Paltrinieri, que fez 7min42seg11, e o bronze foi para o ucraniano Mykhailo Romanchuk, que tinha sido o grande destaque das semifinais, mas só marcou 7min42seg33.

Guilherme Costa chegou à final credenciado pelo próprio desempenho em Tóquio. Na semifinal dos 800m livre, "Cachorrão" avançou à decisão com o tempo de 7min46s09, que lhe rendeu o novo recorde sul-americano, e a quinta melhor marca entre os finalistas.

Já na final, ele marcou 7min53seg31, uma piora de quase sete segundos em relação ao tempo que ele fez na semifinal.

A única medalha conquistada pela natação brasileira até aqui em Tóquio foi o bronze de Fernando Scheffer nos 200m livre. Léo de Deus foi o sexto nos 200m borboleta, e o revezamento 4x200m livre ficou na oitava posição.