PUBLICIDADE
Topo

Racha no skate: o que está por trás do climão da medalha de prata de Kelvin

Martin Bernetti/AFP
Imagem: Martin Bernetti/AFP

Demétrio Vecchioli

Do UOL, em Tóquio

25/07/2021 12h16

A fala de Letícia Bufoni contando que não fez qualquer postagem sobre a medalha de Kelvin Hoefler porque o companheiro de seleção brasileira não participa dos mesmos rolês é só a face visível de um racha dentro da seleção de skate e que envolve, também, o comando da CBSk (Confederação Brasileira de Skate). Isso já havia ficado claro na própria prova de Kelvin, quando ele foi orientado pela amiga (e campeã mundial) Pâmela Rosa e pela própria esposa, por celular, e não pela comissão técnica da seleção, encabeçada por Rogério Mancha.

O incômodo de Kelvin e Pâmela com a gestão da CBSk vem de tempos e foi reforçado durante a preparação para as Olimpíadas, quando a seleção foi treinar nos Estados Unidos. Lá, ambos se sentiram desprestigiados na comparação com um grupo mais próximo do presidente Duda Musa que teria tido privilégios, inclusive acesso a familiares a treinadores próprios.

Kelvin Hoefler é prata no skate

A gota d'água aconteceu há duas semanas, quando Kelvin e Pâmela, que já estavam concentrados com a seleção, pediram autorização para participar dos X-Games, na Califórnia, nos Estados Unidos. Pelo que apurou a reportagem, o comando da confederação disse que os skatistas precisavam viajar todos juntos para o Japão, como time, e por isso não conseguiriam competir nos EUA.

Quando os X-Games começaram, eles ficaram sabendo que Letícia Bufoni estava lá, sem ter Pâmela ou Rayssa Leal, a outra integrante do time brasileiro de street, como adversárias. Letícia ganhou a competição e um expressivo prêmio em dinheiro.

O entendimento de que Kelvin é preterido pela confederação ficou claro em um comentário do pai do skatista no Instagram da confederação, hoje, depois da medalha: "Será que agora vocês vão respeitar meu filho ou vão continuar a menosprezar ele [sic]? É nítido o que vocês estão fazendo. Essa medalha de prata representa todo esforço e dedicação dele. Vocês deveriam ser mais imparciais. É uma vergonha o que fazem com meu filho", escreveu Enéas Rodrigues.

O incômodo de Hoefler é tanto que, conforme contou Letícia no story que gravou depois da prova dele, que Hoefler bloqueou a conta da CBSk no Instagram. Fontes ouvidas pela reportagem apontam que ele entende que o presidente da CBSk, Duda Musa, usa a imagem dos skatistas como trampolim.

Duda foi responsável pela gestão da imagem de Neymar (o jogador de futebol) e, depois que deixou o posto, foi convidado por Bob Burnquist para ser vice-presidente da CBSk mesmo sem ter qualquer relação com a modalidade. Pegou gosto pelo trabalho e, quando Bob renunciou à presidência para focar em seus projetos pessoais, ficou como presidente, sendo depois reeleito com ampla margem de votos.

Para fontes ouvidas pela reportagem, o vídeo gravado por Letícia tinha o dedo de Duda, que é um dos únicos presidentes de confederações brasileiras olímpicas em Tóquio. O COB (Comitê Olímpico do Brasil) havia anunciado que não traria nenhum dirigente de confederação, mas Duda veio credenciado pela Federação Internacional de Skate, com acesso inclusive à Vila Olímpica.

Procurada, a CBSk não quis comentar a reportagem.