PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Petrovic pede demissão após fracassar em levar seleção à Olimpíada

Aleksandar Petrovic durante jogo da seleção brasileira masculina de basquete contra a Croácia - Denis Lovrovic/AFP
Aleksandar Petrovic durante jogo da seleção brasileira masculina de basquete contra a Croácia Imagem: Denis Lovrovic/AFP
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

13/09/2021 11h31

A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) anunciou hoje que Aleksandar Petrovic pediu demissão do cargo de treinador da seleção brasileira masculina. A justificativa oficial é que ele optou por seguir trabalhando apenas no clube, o Pesaro, da Itália, com o qual a CBB o incentivava a acertar.

"Há dois meses, Petrovic assumiu o Pesaro e, neste momento, após reflexão, definiu por seguir exclusivamente com a equipe italiana, uma decisão respeitada pela CBB", justificou a CBB, que agradeceu o técnico pelos serviços.

Em julho, a CBB via com bons olhos a ideia de Petrovic, que desde 2018 se dedicava exclusivamente à seleção brasileira, trabalhar também em um clube. Em nota à coluna na época, a CBB disse que a ideia era "interessante do ponto de vista técnico". "Assim como os atletas treinam todos os dias, ter um treinador trabalhando diariamente em um clube é bom para ele e para o basquete brasileiro", disse a entidade na ocasião.

Naquela época, Petrovic também falava em ter dois empregos. "O meu desejo é continuar a ver a seleção nacional, mas também envolver-me no ritmo diário dos treinos", escreveu no Twitter, em português. Ele também havia indicado que queria levar dois jogadores com ele para a Itália: Leo Demétrio e Bruno Caboclo, mas só conseguiu o primeiro. O segundo fechou com o São Paulo.

Petrovic, que era remunerado pelo Comitê Olímpico do Brasil (CBB), falhou nas duas competições mais importantes em que treinou a seleção. Com ele o Brasil foi só 13º no Mundial de 2019 e, já este ano, não conseguiu classificação para a Olimpíada, perdendo para a Alemanha no jogo decisivo do Pré-Olímpico. Após o jogo, culpou os atletas que não foram ao torneio pela derrota, isentando seu próprio trabalho.