PUBLICIDADE
Topo

Vai dar Real? Cinco clubes campeões da La Liga de forma emocionante

16/07/2020 12h36

A temporada 2019/2020 do Campeonato Espanhol está chegando ao fim. Nesta quinta-feira, o Real Madrid pode ser o grande campeão se vencer o Villarreal, às 16h. No entanto, o Barcelona continua na briga e, em caso de tropeço do rival, ainda pode levantar o caneco, por mais improvável que isso pareça. Pensando nisso, relembre a seguir cinco retas finais emocionantes do torneio nas últimas três décadas.

Em 1993/1994, o Deportivo La Coruña estava preparado para levantar seu primeiro caneco da La Liga, ainda mais depois de um 'conto de fadas' durante todo o torneio: liderou a tabela por meses e só precisava vencer o Valencia em casa. No entanto, o Depor, visivelmente nervoso, perdeu chances atrás de chances, enquanto, no Camp Nou, o Barcelona havia vencido de goleada o Sevilla (5 a 2). Com um pênalti marcado em cima de Nando, do La Coruña, Djukic foi para a bola, porém, ela parou nos braços do goleiro Jose Luis Gonzalez, decretando festa em Barcelona e tristeza em Corunha.

Alguns anos depois, na temporada de 1999/2000, Barcelona e Deportivo se 'encontraram' novamente no último dia de disputa. No entanto, desta vez, o La Coruña não deixou o título escapar: Donato ganhou redenção com um gol no terceiro minuto para acalmar os nervos e o atacante Makaay dobrou a vantagem antes do intervalo. Por outro lado, os blaugranas sabiam que sua chance já não existia mais, apenas empatando com o Celta por 2 a 2. Com isso, as comemorações em Riazor foram ainda mais emocionantes, visto que o 'troco' foi muito bem dado.

m pouco mais para frente, na temporada de 2006/2007, tivemos uma verdadeira luta pelo topo da tabela entre Barcelona e Real Madrid, com Sevilla e Valencia correndo por fora. Foi quando no segundo El Clasico da temporada, em março, um certo argentino de apenas 19 anos de idade, o então jovem Lionel Messi, marcou um hat-trick no empate por 3 a 3 e garantiu que a disputa entre os rivais ficasse ainda mais acirrada. A história ganhou mais emoção na sequência.

Com apenas dois jogos restantes, o Barcelona receberia seu grande rival Espanyol para dar continuidade à boa fase, no entanto, após o "Tamudazo" no Camp Nou, com gol de Raul Tamudo, os comandados de Frank Rijkaard viram o Real abrir vantagem, chegando ao duelo contra o Mallorca precisando de uma simples vitória para garantir a taça, enquanto, no mesmo dia, o clube culé encarava o já rebaixado Tarragona. Quando a bola rolou, enquanto o Barça vencia por 5 a 1, o técnico dos blancos, Fabio Capello, retirou David Beckham e mandou Jose Antonio Reyes, no que provou ser uma troca pelo título: ele marcou duas vezes e deu a vitória para o clube da capital por 3 a 1, garantindo o título de forma bem dramática.

Mais tarde, a temporada de 2013/2014 foi para lá de emocionante, numa troca intensa de liderança entre Barça, Real e Atlético de Madrid, que, no fim das contas, acabou campeão merecidamente, já que era mais consistente, indo 'jogo a jogo', conforme mantra do técnico Diego Simeone. No entanto, as três equipes tiveram dificuldades e tudo ficou para a última rodada mais uma vez. Três pontos à frente do segundo colocado Barcelona, o Atlético visitou a equipe no Camp Nou precisando apenas evitar a derrota. Alexis Sánchez colocou os catalães em vantagem, mas viu Diego Godín acertar uma bela cabeçada para decretar o empate no placar, e o Atlético voltava ao posto mais alto desde 1995/1996.

Por fim, mas não menos importante, o título conquistado pelo Real Madrid, de Cristiano Ronaldo, na temporada de 2016/2017. Com começo avassalador, os merengues travaram uma luta com o insistente Barcelona de Lionel Messi. Zidane continuou a rotacionar sua equipe e obteve resultados graças a um 'plano B', com James Rodriguez, Alvaro Morata e Mateo Kovacic.

Por outro lado, Messi foi fundamental para que o clube catalão vencesse o terceiro colocado Atlético de Madrid, sendo ainda o responsável por mais dois gols na vitória por 3 a 0 sobre o quarto colocado Sevilla. No entanto, o Real tinha um jogo crucial em mãos, e uma vitória por 4 a 1 diante do Celta o colocou com três pontos de vantagem no último dia. Foi quando Cristiano Ronaldo marcou e ajudou o clube a vencer o Málaga por 2 a 0, voltando a ser campeão espanhol depois de cinco temporadas.

Futebol