PUBLICIDADE
Topo

Nova pintura do muro do CT do Santos terá custo médio de R$ 30 mil

Um dos projetos de revitalização para o muro do CT Rei Pelé, do Santos - Reprodução / Youtube / Santos TV
Um dos projetos de revitalização para o muro do CT Rei Pelé, do Santos Imagem: Reprodução / Youtube / Santos TV

24/02/2020 18h20

O muro do CT Rei Pelé ganhará um novo desenho ainda nesse ano. Diversos artistas plásticos enviaram ao Santos os seus projetos de nova fachada e três foram escolhidos como finalistas. A decisão final será aberta à torcida por meio do site oficial do clube. O custo médio dos projetos estão na casa de R$ 30 mil.

Beto Bandeira, Gabriela de Miranda e Thiago de Almeida são os finalistas e passaram por uma análise prévia do Peixe, que, entre outros fatores, analisaram a rentabilidade dos projetos. Alguns orçamentos chegaram a R$ 1 milhão de reais, valor completamente fora da realidade financeira do clube.

Confira os desenhos e a ideia do projeto contada pelos próprios autores à Santos TV:

Beto Bandeira

"A gente conhece bastante a história do clube. Pelé pra gente foi uma fonte de inspiração. Os títulos, a base, os torcedores ilustres, o legado, a saga do time do Santos de 62, 63... então a gente juntou toda história e tentou dar uma resumida nesse quadro".

Gabriela de Miranda

"Meu projeto chamei de trajetória. Eu tentei representar várias trajetórias do Santos, ao meu ver, como torcedora, e também um pouco mais da história. Desde a trajetória do gol, da base, dos títulos. Me baseei muito na história do Pelé como figura unânime, ao invés de ter vários personagens, como o mural anterior"

Thiago de Almeida

"Pensei na história do Santos e da cidade de Santos. As duas histórias estão cruzadas. Por ser o time da cidade, que leva o nome da cidade, acreditava que teria que mesclar as duas coisas. Tinha que ter a história da cidade, os locais da cidade. Principalmente quando o Santos é campeão, a torcida tem os locais certos para comemorar, como a Praça da Independência. Então, o mural no CT do Santos, tinha que ter essas referências, históricas e do cotidiano".

Santos